Carol Kaye: a mulher por trás do baixo dos Beach Boys e de Frank Zappa

Carol Kaye, nascida em 1935 e hoje é um senhorinha simpática de mais de 70 anos, foi uma das maiores baixistas da história da música pop (e ainda por cima gata, como você vê na foto acima). Carol gravou mais de 10 mil músicas em 55 anos de carreira, incluindo a guitarrinha do hit “La Bamba” e os baixos do disco “Pet Sounds”, dos Beach Boys, e alguns hits da dupla “Simon and Garfunkel”. O vídeo abaixo é bem legal e mostra ela detonando vários hits que gravou, inclusive o famoso tema da série “Missão Impossível”.


Assista ao book trailer do meu livro “Canções para ninar adultos”

Fiquei muito feliz com o lançamento do meu livro Canções para ninar adultos dia 25/10/12 no bar Canto Madalena. Vários amigos apareceram! (e autografei mais de 100 livros, he, he, he.)

Foi muito bom rever tanta gente legal e conhecer gente nova, inclusive muitos autores da Editora Patuá. Obrigado a todo mundo que colou no evento.

Agora queria aproveitar para divulgar esse belo teaser animado pelo Alisson Lima, talentoso ilustrador de Belo Horizonte. O Alisson foi o responsável pelos vídeos e ilustrações de dois newsgames da SUPER, o Filosofighters e o ApocalipCity. Assistam que a coisa ficou fina.

Canções para ninar adultos – Teaser do livro de Fred Di Giacomo from Fred Di Giacomo Rocha on Vimeo.

Capa do disco "Canções para ninar adultos"

João Gordo canta com Chico Science e Nação Zumbi no “Bem Brasil”, 1996

Em 1996, Chico Science e Nação Zumbi lançaram o clássicaço “Afrociberdelia”. como você bem sabe. Pra divulgar o lançamento fizeram um show no programa “Bem Brasil” da TV Cultura, que contou com a participação de Arnaldo Antunes, Samuel Rosa, Fred 04 e João Gordo. Nessa época a Nação Zumbi tinha um pout-pourri “heavy metal” no show que incluía “Lixo do Mangue”, “Enquanto o Mundo Explode” e “Da Lama Ao Caos/Refuse Resist” (tudo registrado no disco ao vivo “CSNZ”). No show exibido no Bem Brasil, João Gordo participa de “Enquanto o mundo explode” e “Da Lama ao Caos/ Refuse Resist”.

Aliás, dá pra encontrar o show inteirinho no Youtube.

Veja também:
-João Gordo e Sepultura tocando “Holiday in Cambodia”
-Entrevista exclusiva com João Gordo

“See Emily Play”, clipe antigaço do Pink Floyd

CAROS LEITORES, A GRAVADORA EMI TIROU TODAS VERSÕES DESTE CLIPE DO AR. É A EMI, LEMBRAM?

SeeEmilyPlayTower

Enquanto isso, vocês podem assistir essa versão cover

Houve um tempo em que o gênio criativo do Pink Floyd não era nem Roger Waters, nem David Gilmour. O leitor esperto sabe que o líder do quarteto no seu começo era Syd Barrett (pra quem os outros compuseram “Shine On You Crazy Diamond”). A fase liderada por Syd era puxada pra psicodelia e chegou a ter dois singles iniciais mais pop (“Arnold Layne” e essa “See Emily Play”). Depois dos singles, a banda lançou um bem sucedido primeiro álbum (“The Piper at the gates of dawn”, gravado no mesmo estúdio e na mesma época que “Sgt Peppers Lonely Hearts Club Band”, dos Beatles). Depois disso, Barret se afundou no LSD, enlouqueceu e só fez algumas participações no disco seguinte do Floyd. (Além de lançar dois álbuns solos que viraram cult).

Pelo menos o clipe antigaço de Arnold Lane continua no ar:

Veja também:
100 melhores bateristas da história do rock n’ roll
-LSD para ler
– Conheça a biografia de Timothy Leary, papa do LSD

Punk inglês 77: Conheça o Sham 69, pais da música Oi!, e ouça “If the kids are united”

Assista “If The Kids Are United”

Foi com a geração 77 do punk britânico que surgiu também o “street punk” ou “oi! music”, cujos pais biológicos são os caras do Sham 69. Jimmy Pursey(vocal), Dave Parsons(guitarra),Rick Goldstein(bateria) e Dave Treganna(baixo) compunham a formação clássica da banda, fundada em Hersham, Surrey, em 1976.

É engraçado ver Jimmy cantando com garotinhos saudáveis em um programa de auditório(acima), enquanto nos shows do Sham, punks e skinheads quebravam o pau. O quarteto encerrou suas atividades em 1980.

Questions and Answers

Veja também:

-Entrevista excrusiva com os Garotos Podres
-Por que o primeiro disco dos Ramones é um marco?

Videoteca do Brega – “Garçom” (Reginaldo Rossi): a melhor letra de dor de corno do mundo

– Acompanhe aqui grande clássicos da música cafona na “Videoteca do Brega“.

“Garçom” ao vivo

Quando fui universitário em Bauru, eu tocava baixo numa banda chamada “Cuecas Rosas“. A ideia era fazer versões punk e rock n’ roll de clássicos da música brega brasileira. Nos shows, a gente chamava Wando e Reginaldo Rossi de maiores compositores da música brasileira. Maiores que Chico Buarque. Era provocação, mas no caso de “Garçom” de Reginaldo Rossi a coisa não era só escracho. Acho esse letra o melhor que já escreveram sobre dor de corno… NO MUNDO É realista, bem-humorada e conta uma história como poucos. A frase “eu sei que estou enchendo o saco, mas todo bebum fica chato” é antológica. Rossi (nascido em Recife, em 1944) é aclamado como Rei do Brega, mas acho pouco. Ele está longe de ser só um “Falcão”, uma piada, ou apenas um ex-imitador de Roberto Carlos. Suas letras (como “Raposa e as uvas”) deviam ser levadas mais a sério, seu carisma no palco é inegável e os shows no norte e nordeste continuam lotados. Os “mangueboys” de Recife gravaram um bom tributo ao Rossi, que você pode ouvir aqui.Tem Mundo Livre, Lenine, Otto, Zé Ramalho, Devotos… Uma pequena homenagem pra uma grande obra.

Assista também:
-Lindomar Castilho canta “Eu vou rifar meu coração”
-Relembre “Uma vida só” de Odair José
-Fernando Mendez ficou famoso por cantar uma menina na cadeira de rodas

“Garçom” versão original

Letra de “Garçom”
Garçom! Aqui!
Nessa mesa de bar
Você já cansou de escutar
Centenas de casos de amor…

Garçom!
No bar todo mundo é igual
Meu caso é mais um, é banal
Mas preste atenção por favor…

Saiba que o meu grande amor
Hoje vai se casar
Mandou uma carta pra me avisar
Deixou em pedaços meu coração…

E pra matar a tristeza
Só mesa de bar
Quero tomar todas
Vou me embriagar
Se eu pegar no sono
Me deite no chão!…

Garçom! Eu sei!
Eu estou enchendo o saco
Mas todo bebum fica chato
Valente, e tem toda a razão…

Garçom! Mas eu!
Eu só quero chorar
Eu vou minha conta pagar
Por isso eu lhe peço atenção…
Saiba que o meu grande amor
Hoje vai se casar
Mandou uma carta pra me avisar
Deixou em pedaços meu coração…

E prá matar a tristeza
Só mesa de bar
Quero tomar todas
Vou me embriagar
Se eu pegar no sono
Me deite no chão!…

Saiba que o meu grande amor
Hoje vai se casar
Mandou uma carta prá me avisar
Deixou em pedaços meu coração…

E pra matar a tristeza
Só mesa de bar
Quero tomar todas
Vou me embriagar
Se eu pegar no sono
Me deite no chão!

Reginaldo-Rossi-Cheio-De-Amor

“Cálice” – Criolo

Acho Chico legal, mas não gostava muito de “Cálice”. Agora eu gosto:

Independente de toda discussão sobre o Criolo, acho foda um vídeo cru assim, ter mais de 500.000 visualizações. Prefiro ficar do lado dele.

Veja também:
-Mais artigos sobre rap
-Criolo canta o samba “Linha de Frente” no programa Ensaio

Cálice (letra da versão do Criolo)
Como ir pro trabalho sem levar um tiro
Voltar pra casa sem levar um tiro
Se as três da matina tem alguém que frita
E é capaz de tudo pra manter sua brisa

Os saraus tiveram que invadir os botecos
Pois biblioteca não era lugar de poesia
Biblioteca tinha que ter silêncio,
E uma gente que se acha assim muito sabida

Há preconceito com o nordestino
Há preconceito com o homem negro
Há preconceito com o analfabeto
Mais não há preconceito se um dos três for rico, pai.

A ditadura segue meu amigo Milton
A repressão segue meu amigo Chico
Me chamam Criolo e o meu berço é o rap
Mas não existe fronteira pra minha poesia, pai.

Afasta de mim a biqueira, pai
Afasta de mim as biate, pai
Afasta de mim a coqueine, pai
Pois na quebrada escorre sangue,pai.
Pai
Afasta de mim a biqueira, pai
Afasta de mim as biate, pai
Afasta de mim a coqueine, pai.
Pois na quebrada escorre sangue.

80944412_640

Banda nova que eu sei que cês gostam: Vaccines tocando “If You Wanna”

Hoje é sexta-feira, dia de postar uma musiquinha, então vamos lá:

Vaccines é banda “nova” que agrada molecada e os tiozões. Gostam de Ramones, sabem escrever refrões, os shows são bons e rápidos.

Assista também:
– Banda nova pra quem gosta de guitar bands: Yuck
-Videoteca do brega: música romântica de MACHO
-Rapture tocando “How deep is your love”

the_vaccines_1366085

Punk inglês 77: Conheça a banda “Crass” e ouça “Where is the Next Columbus”

 

-Conheça o U.K. Subs

Where Next Columbus

Estou fazendo uma pesquisa para escrever a resenha do primeiro disco da banda baiana Camisa de Vênus. E não é que achei mais uma “versão” não creditada de punk inglês no disco? Dessa vez, Marceleza deu uma “chupadinha” na letra de “Where Next Columbus” dos anarcopunks 77 do Crass. Confira a letra no final do post. Mas antes, um pouco mais de história, na nossa série “punk 77 inglês”:

-Confira mais bandas da safra 77 britânica

The Crass

Os caras do Crass foram responsáveis por criar o que se chamou de Anarcopunk, uma forma de punk muito mais política que o “anarchy in UK pra chocar velhinhas” dos Pistols e mesmo o rock de esquerda do Clash. Na experiência do Crass tudo era levado mais ao extremo: as letras, as músicas (com experiências de colagens sonoras, poesia e vários vocalistas) e o estilo de vida. A banda surgiu numa casa comunitária chamada Dial House a partir de jams entre Penny Rimbaud e do, fã de Clash, Steve Ignorant. O grupo que já vivia no esquema “Do it yourself”, se empolgou com os primeiros punks e sentiu-se acolhido por aquela cena que explodia em Londres. O ano era, obviamente, 1977. Pelas fileiras do Crass passaram além de Penny e Ignorant: Gee Vaucher, N. A. Palmer, Phil Free, Pete Wright, Eve Libertine, Joy De Vivre, Mick Duffield, John Loder e Steve Herman. Os shows no começo eram toscos e mal tocados e as únicas pessoas na platéia eram os integrantes do UK Subs, que iam se apresentar logo depois do Crass. Com o passar do tempo, a banda adotou uniformes pretos(segundo eles para que ninguém fosse “o líder” e todos integrantes tivesse importância igual) e a performance se elaborou com experimentos com vídeos sendo exibidos, enquanto tocavam. O coletivo chegou ao fim em 1984, já desiludido e crítico em relação às outras bandas da cena.

Confira a letra de “Where Next Columbus?”

Anothers hope, anothers game
Anothers loss, anothers gain
Anothers lies, anothers truth
Anothers doubt, anothers proof
Anothers left, anothers right
Anothers peace, anothers fight
Anothers name, anothers aim
Anothers fall, anothers fame
Anothers pride, anothers shame
Anothers love, anothers pain
Anothers hope, anothers game
Anothers loss, anothers gain
Anothers lies, anothers truth
Anothers doubt, anothers proof
Anothers left, anothers right
Anothers peace, anothers fight
Marx had an idea from the confusion of his head
Then there were a thousand more waiting to be led
The books are sold, the quotes are bought
You learn them well and then you’re caught
Anothers left, anothers right
Anothers peace, anothers fight
Mussolini had ideas from the confusion of his heart
Then there were a thousand more waiting to play their part
The stage was set, the costumes worn
And another empire of destruction born
Anothers name, anothers aim
Anothers fall, anothers fame
Jung had an idea from the confusion of his dream
Then there were a thousand more waiting to be seen
You’re not yourself, the theory says
But I can help, your complex pays
Anothers hope, anothers game
Anothers loss, anothers gain
Satre had an idea from the confusion of his brain
Then there were a thousand more indulging in his pain
Revelling in isolation and existential choice
Can you truly be alone when you use anothers voice?
Anothers lies, anothers truth
Anothers doubt, anothers proof
The idea born in someones mind
Is nurtured by a thousand blind
Anonymous beings, vacuous souls
Do you fear the confusion, your lack of control?
You lift your arm to write a name
So caught up in the identity game
Who do you see? Who do you watch?
Who’s your leader? Which is your flock?
Who do you watch? Who do you watch?
Who’s your leader? Which is your flock?
Einstein had an idea from the confusion of his knowledge
Then there were a thousand more turning to advantage
They realised that their god was dead
So they reclaimed power through the bomb instead
Anothers code, anothers brain
They’ll shower us all in deadly rain
Jesus had an idea from the confusion of his soul
Then there were a thousand more waiting to take control
The guilt is sold, forgiveness bought
The cross is there as your reward
Anothers love, anothers pain
Anothers pride, anothers shame
Do you watch at a distance from the side you have chosen?
Whose answers serve you best? Who’ll save you from confusion?
Who will leave you an exit and a comfortable cover
Who will take you oh so near the edge, but never drop you over?
Who do you watch

Veja também:
– “Ramones” o disco que inventou o punk

Videoteca do Brega: “Eu vou Rifar meu coração”, Lindomar Castilho

A história de Lindomar Castilho é mais trágica que seus boleros e sambas-canções emotivos. Famoso por “Você é doida demais” (abertura de “Os Normais”),”Chamarada” e “Eu vou rifar meu coração”, o cantor foi condenado, em 1981, por matar a ex-mulher que cantava em cima do palco. O artista foi condenado e na prisão gravou o disco “Muralhas da Solidão”. Hoje é muito difícil encontrar vídeos antigos da sua fase áurea, mas uma parte de sua história é contada no livro (já antes recomendado) “Eu não sou cachorro não”.

Veja também:
-Ouça “Cadeira de Rodas”, de Fernando Mendes
-Ouça “Uma vida só”, de Odair José

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...