Pequena (Corpos Entrelaçados)

publicado originalmente 11 de Abril de 2011

Daqui
De perto
Você parece outra
Seu rosto uma nação
Seu olhos prismas
Multicolores
Sua respiração
Um mantra
que me acalma
repetidamente
Em sintonia com
o ritmo deste tambor
… Seu coração

Daqui
De perto
Você parece outra
No breu
Seu contorno fundido
No meu
Silhuetas bailam

Daqui
De perto
Você parece outra
Mais minha
Garota

Cena do filme "Perdas e Danos"

Esse poeminha de amor e sexo foi escrito por Fred Di Giacomo, autor do livro de contos “Canções para ninar adultos”

Veja também:
-Quer comprar meu livro?
-Dos gênios e dos astros eu só compartilho o fracasso
-Conheça o meu primeiro livro
-Curte contos e crônicas? Leia alguns aqui!

 

 

“É tão fácil ser poeta, e tão difícil ser um homem”, Charles Bukowski

Risada do velho safado

40,000 flies – Charles Bukowski 

torn by a temporary wind
we come back together again

check walls and ceilings for cracks and
the eternal spiders

wonder if there will be one more
woman

now
40,000 flies running the arms of my
soul
singing
I met a million dollar baby in a
5 and 10 cent
store

arms of my soul?
flies?
singing?

what kind of shit is
this?

it’s so easy to be a poet
and so hard to be
a man.

Colaborem, por favor!

Aceito doações de felicidade instântanea

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

originalmente postado 30 de Outubro de 2011 por @freddigiacomo

-Coisas sobre Bukowski
-Leia POESIA que dá azia

Veja também:
-Quer comprar meu livro?

-Dos gênios e dos astros eu só compartilho o fracasso
-Conheça o meu primeiro livro
-Curte contos e crônicas? Leia alguns aqui!

Poema do livro “Caprichos e Relaxos” de Paulo Leminski

Poema bebido direto do livro “Caprichos e Relaxos” de Paulo Leminski
tenho andado fraco
levanto a mão
é uma mão de macaco
tenho andado só
lembrando que sou pó
tenho andado tanto
diabo querendo ser santo
tenho andado cheio
o copo pelo meio
tenho andado sem pai
yo no creo en caminos
pero que los hay
hay
O grande poeta Paulo Leminski batendo ponto no bar

O grande poeta Paulo Leminski batendo ponto no bar

Vida e morte de uma pedra

-Prove mais um bocado de nossas poesias

Lá ficou, intacta.
Sob carícias de ventos e tempestades
Por milhares de anos
Até que o tempo – invisível
A transformasse em areia
E o ar a carregasse para o infinito…
Poeira.

@freddigiacomo escreve, escreve e enche com seus escritos o livro ainda inédito “O melhor de mim mesmo”. Exija nas melhores editoras! 😛Restos de Roma, by @freddigiacomo

O Melhor de Drummond de Andrade – Assista entrevistas e poemas recitados pelo poeta mineiro

Sabadão sempre rola sessão de cinema aqui no Punk Brega. Hoje é dia de assistir uma série de vídeos muito legais do maior anjo torto da poesia, Drummond de Andrade.

-Mais poesias para você ler
-Documentários alternativos

Drummond-de-Andrade

O maior poeta do Brasil, Carlos Drummond de Andrade