Pin Up Laranja Mecânica nas fotos de @wandeclayt

Sabia decisão: unir dois ícones clássicos da cultura pop (O filme “Laranja Mecânica” e as curvilíneas pin ups) num ensaio sensual. Mais um trabalho classudo do fotógrafo ciberpunk Wandeclayt.

Conheça mais do trabalho de Wandeclayt aqui!

-Não conhece “Laranja Mecânica”? Leia nossa resenha! 

Campanha pra beber Moloko que queríamos ver

Pin up: Fernanda. Fotos: wandeclayt

Mais de 1600 discos com capa de nudez

Jimi Hendrix sabia o que era bom

Mais de 1600 capas de discos com fotos de peladões na capa. A maioria são mulheres tirando a roupa pra vender discos, mas tem uns marmanjos também, pra quem curte. Alguns discos e bandas tem a ver com a temática de sexo e sacanagem, apesar de em muitos casos o negócio é só chamar a atenção dos onanistas de plantão.
O linkzinho esperto eu achei perdido em algum blog da vida:
http://rateyourmusic.com/lists/list_view?list_id=6482&show=150&start=0

Nudez salva música ruim?

-Entrevista com o fotógrafo Wandeclayt e fotos de suas pin ups

Wandeclayt – Pin Ups + Entrevista

Fotógrafos, designers e ilustradores são as estrelas principais da nossa seção de quinta-feira

Um pin up estilo "clássico", by wandeclayt


1)Cara, você trabalhou com eletrônica de aviação e estudou física, certo?  Como começou a fotografar?
Na verdade ainda trabalho na aviação. Sou especialista em aviônica (eletrônica embarcada) na Força Aérea. A física veio como consequência da paixão pela ciência, particularmente pela astronomia, que foi minha porta de entrada para a fotografia. Meu primeiro interesse artístico foi o desenho, seguido da pintura. As imagens de artistas fantásticos como Boris Vallejo e Frank Frazetta eram uma inspiração constante, mas interesse e inspiração não bastam. Faltava talento com o lápis e os pincéis mesmo. Com a astronomia tive um avançado contato com as técnicas de fotografia e gradualmente fui largando o desenho e migrando para a fotografia artística. Tem essa parte técnica que comecei a aprender na astrofotografia, mas muito da linguagem que hoje uso na fotografia são herança do que estudei na pintura e no desenho. Há diferença na maneira como fotógrafos e desenhistas enxergam composição, cores, luz e sombra. Acho o meu olhar mais próximo da estética do desenho que da fotografia tradicional.

2)E o projeto do Bunker Media, como surgiu? Explique a proposta do trabalho de vocês
Sempre me incomodei com a maioria dos cursos de nu ou de fotografia sensual que via sendo oferecidos. Checando o portifolio dos professores o que eu encontrava era desalentador. E não entendia como alguém com um trabalho cafona e medíocre poderia ter algo de bom para compartilhar. Achava uma coisa desonesta, feita somente para tirar dinheiro do público. Mas para manter a atitude punk do faça-você-mesmo, em vez de reclamar me uni a Roberto Bordin, um experiente fotógrafo e professor de fotografia em uma universidade da cidade e montamos a escola de fotografia e estúdio fotográfico Bunker Media.

Além de oficinas de fotografia de nu, fetiche, pin-ups e sensual oferecemos cursos básicos de fotografia e outros workshops e cursos mais direcionados. Como estúdio seguimos também essa proposta do diferencial. Não queremos concorrer com outros estúdios, queremos fazer o que eles não fazem.

A bela Fernanda no clique de wandeclayt

3)Quais são suas principais influências/referências artísticas?

Na fotografia Helmut Newton, principalmente. Mas as principais
influências vieram do cinema, da arte e dos quadrinhos. Salvador Dali, René Margritte, Dave McKean, Boris Vallejo, Hajime Sorayama. O cinema expressionta alemão, o film noir americano e a fotografia dos filmes de Ridley Scott, Alien e Blade Runner, principalmente.

4)Além de fotografar, você também toca um zine e tinha uma banda, né? Fale
um pouco sobre seus projetos paralelos.

Em 97 montei o Aire’n Terre , um projeto de música Industrial e Synthpop com Aze von Helder, um amigo em Recife. Na época eu estava no interior de São Paulo, em uma escola da Aeronáutica. Pouco depois de formar a banda vim para o Rio Grande do Sul e Aze
mudou-se para Nova York. Mas essa separação teve pouco impacto na banda. Fomos pioneiros na utilização da internet como plataforma de composição e seguimos compondo e gravando à distância. Alguns anos mais tarde incluímos mais um membro na formação. A espanhola Morella van Ingen tornou-se nossa facção européia. Mas apesar de trabalharmos em estúdio como um trio, no palco o Aire’n Terre sempre foi uma one man band (as vezes
com participações de convidados). Reduzimos nosso ritmo de produção, mas ainda sigo me apresentando. Em 2010 subi aos palcos em Santa Maria, Porto Alegre e São Paulo. Até o final do ano devo tocar em Recife também.

Desde a adolescência escuto gêneros musicais sem muito espaço na mídia. Bandas alternativas e independentes dependem de uma imprensa alternativa e independente.
Antes da explosão dos blogs, os zines eram o único canal aberto. Mas além da música, a maior parte de meus interesse também cai longe do mainstream.

O zine Overclock é onde reúno todos esses interesses, ou pelo menos os que se agrupam ao redor da estética cyberpunk: literatura, música, cinema, quadrinhos, tecnologia. E mesmo
com todas as redes sociais e ferramentas de divulgação online, continuo lançando o Overclock como um zine impresso em papel. Um blog pode funcionar para alguém que já está buscando aquela informação. Mas um zine impresso é uma excelente ferramenta para levar informação a novos alvos.

5)Você pode indicar 5 filmes pra quem quer se iniciar na estética ciberpunk?
Talvez seja mais interessante incluir as referências literárias, o verdadeiro berço do cyberpunk. Neuromancer, de William Gibson, é a obra seminal do estilo. Gibson e Bruce Sterling são os pais do cyberpunk e acho que a obra destes dois é uma excelente introdução ao gênero. Recomendo também obras de autores nacionais. “Santa Clara Poltergeist”, de Fausto Fawcett, e “Os Dias da Peste”, de Fábio Fernandes, são uma boa amostra.

6)Pra encerrar: qual é sua pin up clássica favorita?
Aqui vou com a unanimidade. Bettie Page no passado. Dita von Teese no presente. E acrescento à lista as minhas modelos Fernanda, Zombina, Lilah e Leticia

 

Vilãs mais sexy – Top 5

Toda sexta-feira você encontra os melhores vídeos (nerds, picantes ou apenas toscos mesmo) na TV Punk Brega

E aí, você prefere a Mulher Gato vivida pela Michele Pfeiffer ou...

Tá com preguiça de assistir? A gente resume o Top 5 pra você:

3) Mística, X-Men
2) Elle Driver – a enfermeira, Kill Bill
1)  Mulher Gato, Batman

... a versão Halle Berry?

12 maiores guitarristas mulheres do rock

postado originalmente 27 de Julho de 2010
Seleção interessante feita pelo site da revista Elle gringa com as mulheres que mais se destacaram no mundo das 6 cordas. A lista não está em formato de ranking e nem privilegia a técnica exageradamente apurada – tem garotas que detonaram nos mais diferentes estilos de rock ‘n’ roll.

Outras listas:
-Melhores guitarristas dos últimos 30 anos
-100 melhores guitarristas da história

Joan Jett 

Certo, Joan Jett ama rock ‘n’ roll e a gente ama ela e todas suas bandas (“Blackheart”, “Runaways”, etc)

 

Lita Ford

Se Jett representava o lado punk do “Runaways”, a guitarrista solo Lita Ford era o hard rock em pessoa. E continuou cada vez mais metal (com direito a dueto com Ozzy) em sua carreira solo.


Nancy Wilson (Heart)

Nancy Wilson ficou famosa tocando guitarra e violão no Heart, gravou discos solos e assinou a maior parte das trilhas sonoras dos filmes dirigidos pelo maridão Cameron Crowe (Sim, aquele cara sortudo de “Quase Famosos”).


Jennifer Batten

A virtuose Jennifer Batten acompanhou diversos artistas em turnê e estúdio. Mas não estamos falando de qualquer artistinha não, a loirona participou de shows com Michael Jackson e gravou com o guitar hero Jeff Beck.


Donita Sparks (L7)

Mulheres raivosas e com atitude atacaram a bunda molice do rock junto com o grunge nos anos 90. Donita estava a frente do L7, uma das melhores bandas dessa safra.
Kelley Deal (Breeders)

Como (quase) todo guitarrista de indie rock, o forte de Kelley Deal não é exatamente o virtuosismo. A irmã de Kim Deal, inclusive, demorou pra aprender a tocar guitarra e tornar-se a guitarrista solo do Breeders


Carrie Brownstein (Sleater-Kinney)

O Sleater-Kinney começou na esteira das rrriot girls e seu punk raivoso, mas aos poucos foi variando suas influências chegando a soar como o velho Led em algumas canções.


Poison Ivy (The Cramps)

A sexy Poison Ivy é a mãe do psychobilly, com sua guitarra frenética servindo de pano de fundo para as maluquices do marido Lux Interior, líder do The Cramps.

Ruyter Suys (Nashville Pussy)

Porrada sonora em mais um caso de marido cantando e mulher tocando. Sim, rockers, Ruyter Suys detona nos solos do Nashville Pussy – às vezes, só de lingerie…


The Great Kat

Tá com medinho da viúva negra aí em cima, ta, coração? Pois saiba que essa dominatrix, era “só” uma violonista clássica fudida até resolver virar estrela do trash metal virtuoso, metendo Beethoven no mundo da distorção.


Marnie Stern

Apesar do começo punk, Marnie Stern chamou atenção dos guitarristas do mundo com sua técnica de tapping, como vocês podem ver no vídeo acima. Hey, pare de babar! Foco na técnica!


Orianthi

Michael Jackson gostava de acrescentar solos virtuosos de belas guitarristas de hard rock ao seu som. Orianthi seria uma das estrelas da última turnê do astro, “This is It“. A australiana de origem grega também já tocou ao lado de feras como Santana e Steve Vai.

Veja também:
-Musas Rock n’ Roll: Joan Jett 

-Conheça as principais pin ups da história

As 5 coroas mais enxutas – Top 5 Milfs

Hoje é sexta-feira, dia de vídeo em clima de azaração, paquera e Sérgio Reis cantando “não me interessa se ela é coroa, panela velha é que faz comida boa”. Aproveito abaixo um vídeo que produzi para a revista Mundo Estranho onde selecionávamos as MILFs mais gatas da época.

Monica Belluci abocanhou a segunda colocação numa disputa acirrada com...

5.Sophia Loren
4.Vera Fischer
3.Angela Vieira
2.Monica Bellucci
1.Sharon Stone

... a unanimidade loira Sharon Stone.

Assista também:
-5 musas dos quadrinhos
-Personagens mais chatos dos desenhos animados
-Piores penteados de jogadores de futebol

Vídeo: Dita Von Teese vem aí!

A cinturinha de vespa de Dita Von Teese moldada pelo espartilho sexy

A cinturinha de vespa de Dita Von Teese moldada pelo espartilho sexy

Principal nome da onda “burlesca” que revive o clima das pin ups, Dita Von Teese faz show no Brasil dia 28/10, só para convidados. O show “Be Cointreauversial” está sendo patrocinado pelo Contreau. Abaixo, um vídeo com um pouco do que a gente vai perder.

Veja também:
-Outras musas nuas do nosso blog

-Musas rock n’ roll
– Pin Ups clássicas em fotos vintage

Big Brother Brasil- Sabrina Sato e Grazi Massafera são as mais gatas do BBB

Bom, já que a maior audiência desse blog era para o post de “Vídeos do BBB”(que não tinha nada, só era uma piada pra dar audiência) , vamos colocar alguma coisa sobre o assunto aqui, abaixo você vai conferir o vídeo que produzi pra Mundo Estranho com as 5 mais gatas do BBB, mas – melhor  que isso – esse post foi uma boa desculpa pra postar as fotos de pin up que a Sabrina e a Grazi fizeram. E a gente adora pin ups, né?

Ui! Grazi no ensaio pra GQ

Mais fotos sexy de Grazi inspiradas nas antigas pin ups

No vídeo abaixo elegemos as 5 mais gatas do BBB

A narração é do vídeo é da Gabi Portilho e a produção da Gasolina Filmes.

Sabrina Sato encarna a pin up com franjinha e tudo

Franjinha da pin up oriental

Veja também:
-Outras musas nuas do nosso blog

-Musas rock n’ roll
– Pin Ups clássicas em fotos vintage

Duas HQs eróticas que as mulheres têm que ler

-Galeria de Pin Ups
-Leia resenha de quadrinhos eróticos em 20 palavras

1) “Giovanna“, Giovanna Casotto:

2)”Omaha” – A Stripper, Reed Waller e Kate Worley

Dia dos namorados chegando e, quem sabe, esse não pode ser um bom presente para sua namorada “descolada”…

Giovana e Omaha tem uma coisa que “Sex and the City” e as músicas do Chico Buarque possuem: aquela tal “compreensão da alma feminina” que toda mulher adora. Não à toa, ambos os quadrinhos têm autoras envolvidas. E ninguém melhor para escrever sobre sexo para mulheres do que uma mulher.

Giovana traz vários contos com fantasias femininas estreladas por italianas voluptosas que não lembram em nada as modelos anoréxicas que vemos nos propagandas ou novelas. A autora tira fotos dela mesma, nas mais variadas posições, e depois as usa como molde para suas personagens.

Omaha é uma gata(literalmente) criada por Reed Walker, mas cujas histórias são escritas pela sua esposa(na época) Kate Worley. Ela vem do interior dos EUA e se tona stripper e modelo para ganhar a vida. O álbum da Conrad é organizado por ordem cronológica e as histórias de Omaha são menos explícitas que as de Giovanna, mais “românticas”, lembrando um seriado como o já citado “Sex and the City“, só que bem mais “Sex” do que “City”.

Compre:
-Omaha, a Stripper
-Visons of Giovanna

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...