Pornô – Rafael Coutinho

Quinta-feira é dia de fazer arte no Punk Brega
A pornoarte do artista de "Cachalote"

A descrição oficial do trampo do cara:
Nasceu em São Paulo em 1980 e se formou em Artes Plásticas pela UNESP em 2004. Produziu curtas-metragens como animador e diretor (“Aquele Cara”-2006 e “Ao Vivo”-2008), e participou de importantes publicações como quadrinista (“Bang Bang”- ed. Devir-2005, “Contos dos Irmãos Grimm”- ed. Desiderata, “Cachalote” – Cia. das Letras-2009). Foi integrante do grupo Base-V, produzindo murais, exposições e publicações de arte experimental. Novidades sobre o trabalho de Rafael Coutinho no blog do cara.

Veja também:

-As pin ups modernas do fotógrafo Wandeclayt
-Milo Manara, o mestre dos quadrinhos eróticos

Meus pais – Nati Canto

Quinta-feira recebemos jovens e consagrados artistas num versnissage punk.

Sim, Nati Canto já deu as caras aqui antes. Depois dela participar de uma exposição na galeria Zipper, agora é a hora dela volta para nossa exposições virtuais.  Mais informações no site da artista.

Meus pais

A minha mãe já declarou várias vezes o quanto preferiria morrer antes do meu pai. A princípio eu achava essa conversa um tanto quanto mórbida. Mas depois passei a considerar os casais que passam suas vidas dividindo uma mesma história e têm de se separar no leito de morte. Ouvi dizer que em pouco tempo depois, normalmente o que ficou vai embora também. Não sei por quanto mais essa idéia de amar até o final vai existir. E é por isso que invejo/admiro meus pais juntos, porque talvez essa será a minha única experiência real de acreditar no amor a dois sem data de validade.

Veja também:
-Erotismo ciberpunk de Wandeclayt

-Imagens Multiestávesi – Nati Canto

Jazz – Mari Coan

Quinta-feira nossa galeria virtual expõe arte nova ou com gosto de novo

A ilustradora Mari Coan é sucinta em sua auto-definição: Illustrator from São Paulo, Brazil. I like to mix techniques, medias and ideas!
Mais trabalho da moça talentosa pode ser encontrado também clicando aqui

-Outros trabalhos da Mari publicados no Punk Brega
-Conheça as ilustrações do capixaba Gabriel Gianordolii

Clube de Ideias – Sabrina Barrios

Quinta-feira, um respiro para arte aqui nesse espaço Punk

Clube de Ideias foi um blog coletivo que reuniu escritores, artistas, cineastas e vagabundos bem(mal)intencionados. O belo topo do blog foi uma colaboração da artista e designer Sabrina Barrios.

-Mais trabalhos da Sabrina Barrios
-Imagens Multiestáveis, da fotógrafa Nati Canto

Robert Whitaker – Yesterday and Today

Quinta-feira, selecionamos trabalhos de artistas rock ‘n’ roll e novas caras para expor aqui.

article-2044394-003A1FBA00000258-141_634x635

Robert Whitaker (1939- ) foi o fotógrafo britânico que clicou as clássicas e “malditas” fotos dos Beatles para a coletânea “Yesterday and Today” (1966).  Whitaker clicou os Beatles diversas vezes entre 1964 e 1966, e também foi fotógrafo de Mick Jagger e Cream. A inspiração para este trabalho foi a Pop Art e o surrealismo. O problema foi que os lojistas americanos ficaram indignados com a capa e a Capitol teve que retirar o disco das lojas, tornando-o uma das peças mais desejadas (e caras) do rock ‘n’ roll.

butch

Essa história você pode ver muito melhor contada pelo Ricardo Alexandre num vídeo superlegal que eu produzi pra Bizz em 2006.

beat
E o comentário tosco é: “Beatles mostram a linguiça para fã”. Beijos e até semana que vem!

-Bob Gruen e suas fotos de rockers
-O design grunge de Art Chantry

Gabriel Gianordoli – Sketchbook 2

Hoje é quinta-feira, né? Dia de deixar esses ilustradores e designers saírem da prisão dos seus Macs e dançarem.

Resgatamos esses trabalhos direto do Clube de Ideias, bloguinho coletivo que contou com a ilustre participação do designer, guitarrista e ilustrador Gabriel Gianordoli.

Veja também:
-Mais trabalhos do Gabriel
-Colagens da designer gaúcha Sabrina Barrios
-Anatomias góticas de Eduardo Belga

Nati Canto – Imagens Multiestáveis

Quinta-feira, dia de reunir novos fotógrafos, designers e pintores para um happening virtual


Segundo a própria:
Não é formada em fotografia e não sonhou desde cedo em ser fotógrafa.  Nati Canto já migrou do jornalismo para a literatura e desta para a gastronomia. Já publicou nas revistas Playboy, Bravo!, VIP, Nova Escola, entre outras.


Conheça mais do trabalho da fotógrafa em seu site oficial.

Veja também:
– Erotismo ciberpunk nas fotos de Wandeclayt
– Hey, take a walk on the wild side com as fotos de Diane Arbus

Bob Gruen – Rockers

Quinta-feira, destacamos umas fotinhos e ilustrações pra vocês descobrirem artistinhas maneiros

Bob Gruen (1945) é um dos fotógrafos de rock ‘n’ roll mais conhecidos do mundo. Seu livro Rockers (2007) é a coleção de retratos que todo fã de guitarras distorcidas quer ter na mesa da sala. O site oficial do nego tem trabalhos, biografia e toda informação adicional que você vai querer depois de ver essas fotinhos supimpas.

Frank Kozik – Design rock ‘n’ roll

Quinta-feira, abrimos a casa para novos artistas ou clássicos undeground. Mande seus rabiscos pra gente.

Frank Kozik é um dos designers mais importantes do rock ‘n’ roll dos anos 90. Fez pôsteres e capas de discos para uma calharada de bandas que inclui Nirvana, Pennywise, Pearl Jam e a clássica capa do disco “Americana” do Offspring.

Além de seu trabalho gráfico, Kozik também produziu dezenas de brinquedos, Toy Art e esculturas e toca o selo Man’s Ruin que lança rock ‘n’ roll em vinil.

Ao contrário da maioria de seus pares, Kozik é um punk neoliberal, que defende a liberdade de mercado do capitalismo – posição polêmica numa cena sempre ligada à esquerda. Conheça mais do trabalho do cara em seu site oficial: http://www.fkozik.com/

Veja também:
Não devemos nada a você: a Bíblia do punk moderno
-Miranda July: a designer punk que caiu no gosto dos moderninhos


Maripê – Fotos rock ‘n’ roll

Toda quinta-feira nos publicamos os trabalhos de novos artistas e fotógrafos ou clássicos underground

-Veja mais fotos de Maripê no blog dela

1)Como  e quando você começou a fotografar?

Sempre fui fã de fotografia, e já na faculdade arriscava um clique ou outro, mas foi só no meu último ano que comecei a levar a sério. Minha prima tinha uma banda, Touching Lips, e meus primeiros cliques foram nos shows dela. Aí, entre as bandas dos amigos dos amigos dos amigos, conheci a Cyber-Jack, Condessa Safira, KiLLi e não parei de fotografar! Curti muito fotografar bandas, e até hoje tô nessa pegada.


2)Tem algum fotógrafo que te influenciou?
Sempre vi a fotografia como uma grande brincadeira, e sempre fui tentando fazer do meu clique o meu clique, sem “copiar” o estilo de ninguém, indo atrás dos ângulos e composições que eu achava interessante. Mas claro que existe uma certa influência do que vejo no que faço: sou fãzona assumida do Mark Seliger (autor de inúmeras capas de CD e das revistas Rolling Stones) e do David LaChapelle, e no claro, do Bob Gruen. Do cenário brasileiro, gosto muito do trabalho do Cesinha.

3)Como surgiu sua ligação com o Zona Punk? Fale um pouco sobre seu trabalho no site.
Na caruda, haha! Sou leitora do Zonapunk desde sempre, e quando algum amigo escrevia resenhas por lá, as vezes rolava de colocar minhas fotografias. Mas foi só em 2009 que entrei para a equipe oficial do site, como resenhista e fotógrafa, quando joguei a ideia de uma parceria do Zona Punk com o MaripêLab, meu blog. Sempre viajei muito para fotografar, tenho várias bandas amigas por aí e, numa das minhas viagens para BH, pensei em voltar com uma resenha dos shows! O Wlad – editor do ZP – topou e ampliou a proposta, me convidando para participar da equipe.
4)Qual é o melhor som para fotografar?
Essa é difícil! Acho que não existe um estilo de som melhor para fotografar, vai depender da intenção da fotografia.
Se é um show com um som mais parado, dá pra ficar prestando mais atenção nos detalhes, nas expressões dos músicos, fazer mais fotos detalhistas. Se o show já é mais pesado, num ambiente com luzes dançando a mil, dá pra pirar em fotos com zoom burst e light paiting (técnicas para tirar fotos brincando com o efeito da luz), capturar os movimentos mais rápidos com flash ou ampliar a foto, pegando a platéia e sentindo a vibe do show. De qualquer maneira, pode sair várias fotos boas, cada uma com sua energia, sua intenção!
Mas claro, sempre ajuda quando a banda é boa, quando o fotógrafo curte o estilo da música!

5)E pra fechar: tem alguma banda que você sempre sonhou clicar?
Nacional ou gringa? 🙂 Das nacionais, talvez a Pitty – sem contar as minhas fotos da virada cultural, eu estava muito longe! hehe! Sempre vejo fotos delas e são muito interessantes, porque ela brinca muito com o figurino, com as poses e com o público.
Lá de fora, sem dúvida alguma um show da Juliette Lewis! Além de eu amar o som de sua banda (desde os tempos de Juliette & The Licks), as caras, bocas e poses da Juliette são as melhores!

-Fotos ciberpunk de Wandeclayt
-Conheça o trabalho da fotógrafa Diane Arbus

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...