“Banditismo por uma questão de classe” – Raimundos tocando com a Nação Zumbi

Porra, eu nunca tinha ouvido esse encontro de duas das maiores bandas brasileiras dos anos 90: Raimundos e Nação Zumbi tocando “Banditismo por uma questão de classe” do primeiro disco da Nação (“Da Lama ao Caos”) gravado ainda com Chico Science no vocal. O encontro rolou no Programa Livre de Serginho Groisman, em 1999

20 melhores discos nacionais dos anos 90 – Showbizz

Capa da edição da Bizz que listava os 100 melhores discos da década de 90

Em 1999, a minha revista favorita era a Showbizz.(Sim, naquele tempo a clássica Bizz tinha mudado de nome). Como a internet discada (???)  era uma carroça, era na Showbizz que eu acompanhava o que rolava na música, descobria discos novos e lia entrevistas com os ídolos nacionais e gringos.

Com esse revival dos anos 90 que está pintando, resolvi resgatar esse top 20 dos discos nacionais daquela década. Ele foi publicado numa revista com o aviso “edição histórica” (número 172)  e a foto do rosto de Kurt Cobain estourada na capa P&B.

1) “Raimundos” (1994) – Raimundos

2) “Calango” (1994) – Skank
calango-skank-capa

3) “Samba esquema noise” (1994) – mundo livre s/a

4) “Roots” (1996) – Sepultura
Sepultura_-_Roots-capa

5) “… Cor-de-Rosa e Carvão” (1994) – Marisa Monte

cor-de-rosa-e-carvao-marisa-monte

6) “Manual Prático para festas, bailes e afins” (1997) – Ed Motta


7) “Da Lama ao Caos” (1994) – Chico Science & Nação Zumbi

8 ) “Sobrevivendo no Inferno” (1997) – Racionais MC’s

9) “Usuário” (1995) – Planet Hemp

10) “Hey Na Na” (1997) – Paralamas do Sucesso

11) “Preste Atenção” (1996) – Thaíde & DJ Hum
12) “Eu e Memê, Memê e Eu” (1995) – Lulu Santos
13) “Sobre todas as forças” (1994) – Cidade Negra
14) “Bebadosamba” (1996) – Paulinho da Viola
15) “Samba pra Burro” (1998) – Otto
16) “Gol de Quem?” (1995) – Pato Fu
17) “Na calada da noite” (1990) – Barão Vermelho
18) “Rappa-Mundi” (1996) – O Rappa
19) “Mamonas Assassinas” (1995) – Mamonas Assassinas
20) “O descobrimento do Brasil” (1993) – Legião Urbana

Outras listas:
-5 discos injustiçados do rap nacional
-6 disco para começar a ouvir jazz
-10 melhores discos dos anos 2000

Banguela HIts – O último dente

Toda banda de punk é influenciada por Ramones, todo baixista já foi fã do Flea, todo mundo tem um monte de influências comuns a outras milhares de bandas.
Mas tem sempre aquele disco estranho que fez a sua cabeça e te influencia até os dias de hoje. (Seja uma banda brega que você tem vergonha de assumir que curtia, mas decorou os riffs de cabo a rabo, ou uma bandinha pop/rock que era hit na Mtv quando você começou a se ligar em música.)
Lembro que por volta de 1997 eu tinha 13 anos e estava começando a curtir som. Os Titãs tinham um selo, Banguela, que lançou o mundo livre s/a (de quem eu era fã, assim como todas demais bandas de Recife) e Raimundos. O selo Banguela durou alguns anos e se despediu com a coletânea “Banguela Hits”, que incluía as bandas: mundo livre s/a, Raimundos, Little Quail, Graforréia Xilarmônica, Maskavo Roots, Kleiderman e Pravda.

Pra mim era um amontoado de bandas com nomes bizarros. Mas é impressionante, como lembro todas as músicas até hoje. E várias dessas bandas tem alguns dos elementos que eu mais gosto até hoje: bom-humor nas letras, mistura de estilos e baixos grooveados.

Só descobri a importância do Graforréia Xilarmônica pro rock gaúcho vários anos depois, mas sempre curti os arranjos estranhos, com baixo destacado e letra engraçada de “Bagaceiro Chinelão”. O psychobilly insano do Little Quail (hoje em dia minha banda – Milhouse – toca um cover deles, “Essa menina”), também foi redescoberto anos mais tarde. E agora eu estava ouvindo as músicas da ainda obscura banda de funk-rock, Pravda, e pensei: que puta linha de baixo! A título de curiosidade: Raimundos, Maskavo Roots, Pravda e Little Quail eram bandas da efervescente cena noventista de Brasília. Graforréia, como eu disse antes, é gaúcho – projeto do grande Frank Jorge. O mundo livre vem de Recife e o Kleiderman era a banda paralela dos caras do Titãs.

Engraçado, não sei se esse post faz sentido pros outros, mas pra mim faz. A coletânea cheia de bandas com nomes esquisitos ajudou a moldar meu gostos musical.

Ouça algumas faixas:

“Tempestade”, Maskavo Roots

“Recreio dos Bandeirantes”, Pravda!

“Livre Iniciativa”, mundo livre s/a

“Bagaceiro Chinelão”, Graforréia Xilarmônica

“Família que Briga Unida”, Little Quail

“Nem mãe, nem puta”, Kleiderman

“Selim, Raimundos”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...