Garoto Alado

asas

por Fred Di Giacomo

Suvenir City era uma cidade pequena, onde novidades voavam com velocidade da luz. Algumas novidades voavam com velocidade do som e outras preferiam voar de avião mesmo. A última grande notícia fora a do menino com asas. Ele era um daqueles tipos estranhos, sempre sozinho no recreio, ruim de bola e grudado em livros. Um dia levantou da cama com um sobretudo preto. Seus pais estranharam. Lembraram-se dos massacres de alunos ocorridos nas escolas americanas. A tal “máfia do casaco”: garotos excluídos pelos colegas vestiram-se com sobretudos negros e abriram fogo dentro da escola. Um horror. Ficaram com medo e o pai preocupado tratou de ter um diálogo franco com o filho:

_ Filho, você está se sentindo bem?
_ Sei lá, pai, estou meio diferente…
_Drogas?
_ Pai, eu nunca nem bebi.
_ Ah, não? Certo… Continua virgem?
_ Pai, eu nunca nem beijei uma menina…
_ Ah, certo. Bem… Você vai matar alguns coleguinhas hoje?
_ Não pai, eu não tenho nenhuma arma. E eu tremo demais. Se fosse matar alguns alunos provavelmente atiraria no meu pé…
_Correto, então acho que está tudo bem. Tome seu café, senão vamos nos atrasar, eu te dou uma carona.

Café com leite tinha gosto de café com leite. Para o menino com asas tinha gosto de angústia. Leite com chocolate tinha gosto de tristeza. E café preto tinha gosto de ódio. Naquela manhã, achou o café com leite muito bom e sentiu um gostinho de luz no fim do túnel bem aprazível para uma manhã nublada. Manhãs nubladas tinham cheiro de nostalgia e forma de velhas fotos preto-e-branco.

Menino alado saiu de casa com sobretudo piche e entrou no carro do pai. Menino alado tinha sentido um comichão nas costas algumas semanas atrás. Menino alado entrou na escola, subiu na caixa d’água e voou alto. Ninguém entendeu. Acharam que eram drogas ou que ele era veado. Chamaram a polícia e os bombeiros. Chamaram o padre e um psicólogo. Chamaram também uma pizza. Meia aliche, meia calabresa como o diretor do colégio gostava. Menino alado voou alto, por entre os prédios de Suvenir City. Via o mundo diferente lá de cima. Cantou What a wonderful world, flutuando sobre dEUS.


O diretor parecia desesperado e gritava para que o moleque descesse. Um promotor veio ver se o menino tinha alvará ou brevê. Multou-o em trezentos euros ou 900 reais. Multou a escola também. O diretor ficou desesperado e arrancou os fios de cabelo da careca. Depois, um juiz revogou a sentença, porque não existia brevê ou alvará para meninos alados. A escola até lucrou um pouco com a propaganda. Muitas crianças achavam que estudando lá iriam sair voando. Tudo isso foi depois, na hora, o diretor careca devorava a pizza meia aliche, meia calabresa, bufando e gritando para o moleque descer. Ele nem escutava, só queria agora a língua dos anjos.

O capitão da polícia ligou para o governador, que preferiu se abster, como sempre. Os políticos estão sempre em cima do muro em questões isentas de benefícios. Quando não se recebe por uma decisão é melhor abster-se. Passaram-se horas e o capitão sem saber o que fazer. Na dúvida, seguiu as ordens do diretor careca.
_Atire nesse moleque, ele é um terrorista, ele é um terrorista!_ Gritava com a boca cheia e as mãos engorduradas. Achava que era um atentado em Suvenir City, como o que vira na televisão: os árabes tinham derrubado duas torres com aviões tripulados, nos Estados Unidos. Quem sabe o menino não quisesse derrubar o coreto ou a fonte com suas asas? Atiraram: seis tiros de pistola, seis de trinta e oito e dois de escopeta. Erraram quase tudo. A polícia brasileira não tem o treinamento específico para acertar crianças com asas. Um tiro, no entanto, varou as asas do garoto… Ele foi caindo em direção ao horizonte, caindo e desapareceu fundido ao sol.

Ninguém sabe se está vivo ou não. Nunca voltou a cidade. E quem por ventura ganha asas as mantêm bem escondidas com jaquetas de couro e sobretudos pretos. Mesmo no verão, que em Suvenir City é bem quente.

Fred Di Giacomo é escritor e jornalista multimídia. O conto “Garoto Alado” faz parte do seu primeiro livro “Canções para ninar adultos“, lançado em 2012 pela editora Patuá. “Canções” foi publicado  em um formato inspirado nos velhos compactos de vinil e é dividido entre Lado A (com contos fantástico) e lado B (com contos mais marginais). Fred também é autor do infantil “Haicais Animais“, criador do projeto Glück – uma investigação sobre a felicidade e autor do roteiro de diversos jogos e newsgames.

Wander Wildner – o pai do punk brega – dá entrevista na época de sua volta para os Replicantes

Wander Wildner foi a primeira pessoa a ficar incomodada comigo numa entrevista. E olha que, em 2003, praticamente todas as entrevistas pro zine KAOS! eram feitas por e-mail. Lembro que, quando recebi as respostas dele, percebi que o cara não gostou muito das perguntas sobre a “cena punk dos anos 80”. Na época, o KAOS! era um zininho punk e ingênuo e eu sempre queria passar a limpo algumas polêmica que lia em fanzines e sites toscos. Uma delas eu matei na entrevista com o Mau dos Garotos Podres, que se defendeu das acusações de serem uma banda nazista.

Eu, com minha experiência de segundo ano de faculdade, achei a entrevista do Wander meio mal-humorada e só publiquei no site, não coloquei no zine impresso. Hoje, acho que foi bem boa, ele respondendo com ironia o que não gostava, mas também soltando perolinhas de sua filosofia punk brega como: “A vida é muito simples, é só achar algo legal pra fazer! “.  Wander é sem dúvida uma das grandes figuras do rock nacional.
Certo, Wander, a vida é muito simples e, reajustando as contas com o cara que deu nome pra este blog, aí vai a entrevista com o Punk Brega em carne e osso, na época em que tinha voltado a tocar com os Replicantes:
***

1.Bom, os Replicantes estão com uma turnê internacional marcada, quais as expectativas? Vocês têm alguma noção de quanto o trabalho de vocês é conhecido lá fora?

Acho que eu não tenho expectativas. Vou para fazer shows. Creio que será uma grande aventura, vou para lugares que nunca fui, mas não fico imaginando coisas, apenas me preparo física e psicologicamente para uma série de shows e viagens, acho que vai ser bem legal.

2.Vamos voltar um pouco no tempo. Por que o Wander Wildner saiu da banda e como foi que rolou essa volta?

Saí porque fiquei a fim. Voltei porque eles me convidaram, eu aceitei porque gosto da banda, das músicas, sou um cantor, é uma das minhas profissões.

3.O fato de vocês virem do sul atrapalhou no início da carreira, já que a cena punk mais forte rolava em São Paulo?

Como assim virem do sul? Nós não saímos do sul e fomos para algum lugar. A banda sempre viveu em Porto Alegre e saía para fazer shows, gravar, divulgar. Vocês parecem ter alguma ideia pré-concebida sobre bandas, os Replicantes são uma banda original, criamos a nossa própria estrada, somos independentes, mesmo as vezes gravando numa grande gravadora.

4.Hoje em dia como vocês vem o movimento punk dos anos oitenta? Dá pra fazer uma comparação com a cena hardcore atual?

Eu não vejo. Nunca fizemos parte de movimentos deste tipo. O único movimento em que acredito é o meu próprio, de ir e vir.

5. É verdade que rolava um preconceito de bandas punks como RDP e Olho Seco em relação aos Replicantes? Isso ainda acontece?

Não sei. Como não nos preocupamos com isso, não sei. Prefiro usar meu tempo trabalhando.

6. O que tem rolado no aparelho de som de vocês ultimamente?

Walverdes, Os Pistoleiros, Stuart, Beck, Qassis, Bob Dylan, Neil Young, Sonic Youth…

7. Como anda a carreira solo do Wander Wildner? Há planos pra mais lançamentos do “Punk Brega”?

Estou com um disco pronto, procurando parceria para lançamento – chama-se PÁRA-QUEDAS DO CORAÇÃO – e tenho outros projetos.

8. Os discos originais dos Replicantes nunca foram lançados em cd (Só uma coletânea com 20 Hits) , há chance de vermos esses clássicos relançados?

Acho que sim, vamos entrar em contato com a gravadora mais tarde para ver isso.

-Todas as entrevistas postadas aqui

9. Que sons não poderiam faltar na “Festa Punk” dos Replicantes?
Sex Pistols!!!

10. Várias letras antigas da banda tinham uma temática meio apocalíptica, bem Guerra Fria. O que vocês acham dessa volta do clima de tensão depois do 11 de setembro e a Guerra no Iraque?

Acho que o acontecimento do dia 11 serviu para mostrar as possibilidades de futuro que podem acontecer, que a maioria das pessoas não estavam se dando conta.

11. Agora as infames questões rápidas, o que vocês pensam a respeito de :
a) George Bush – UM AMERICANO TÍPICO
b) MPB – ADORO OS CLÁSSICOS E O CORDEL DO FOGO ENCANTADO
c) Engenheiros do Havaí – HUMBERTO É UM MESTRE
d) Anarquismo – LEGAL

12. Vale a pena fazer rock no Brasil?Claro! Se não valesse eu não faria, vivo disso.

Qualquer mensagem ou recado pra molecada sintam-se a vontade…
A vida é muito simples, é só achar algo legal pra fazer!

Replicantes na Alemanha, 2006

5 posts mais acessados de outubro de 2010

1) Cozinha do inferno
Comida heavy metal na liderança de outubro

2) 5 clássicos da literatura erótica
Se não tivesse um post de sacanagem no ranking eu ia estranhar vocês…

3) Homem Deus e Homem Humano – Um parceria fracassada
Quadrinhos filosóficos

Homem Deus e Homem Humano – Um parceria fracassada

4)Bansky faz abertura para “Simpsons”
Notícias frescas sobre nosso grafiteiro favorito
Banksy Bart Simpson Graffiti In New Orleans

5)“I Believe in Miracles” – Pearl Jam ao vivo em São Paulo
E um Pearl Jam tocando Ramones pra alegrar no finalzinho

10 posts mais acessados de agosto – 2010

Uhu!!!!!!!!!!!!!! Batemos nosso recorde de audiência e passamos dos 7000 visitantes únicos! E os posts mais acessados publicados em agosto foram:

1)Qual é o candidato a presidente mais feio de 2010?
Olha só, hein? Nossos top 10 costumam ser recheados de mulheres bonitas e este mês um post cheio de políticos feios ganhou o troféu! Povo engajado anda acessando o Punk Brega…

2) ZAP Comix – Robert Crumb, Gilbert Shelton e outros
Em tempos de Shelton e Crumb no Brasil, o pessoal se interessou pelas raízes undeground dos dois na obrigatória HQ Zap Comix.

Capa da coletânea da Zap Comix publicada no Brasil pela Conrad

3)Plástico pesado – Action Figures rock ‘n’ roll
Sim, nosso colunista metal, Diego Sanches, anda sumido, mas ele promete voltar a postar assim que oficializar seu casamento rock ‘n’ roll. Por hora, o post sobre “bonequinhos” marcou presença na nossa lista.

Lemmy Kilmister, da Locoape

4)Wandeclayt – Arte Ciberpunk
Nossa seção “artística” destacou o sensual trabalho do fotógrafo ciberpunk Wandeclayt.

5)Lili St. Cyr – Musas Pin Up
As pin ups marcaram seu pontinho em nosso ranking com a loiraça Lili St. Cyr. Tava estranhando a pouca quantidade de mulépelada entre os posts mais acessados…

6) Game – Os Pedrero: O motoqueiro doido
Olha, só! Um dos games punks que publicamos toda quarta-feira caiu no gosto dos jovens transviados que acessam esta espelunca.

7)Dos heróis de hoje – Poesia
Teve até espaço pro momento sarau com uma poesia dedicada às celebridades B

8) Novo trailer de Machete: Trejo estripa todo mundo e ganha presentinho no final
Rá! E o filme mais esperado e sanguinolento do ano deixou uma pilha de mortos no caminho pra chegar ao nosso Olimpo.

9) Vilãs mais sexy – Top 5
Hum… Vocês curtem mulheres más?

E aí? Você prefere a Mulher Gato versão Michelle Pfeiffer ou...

10) Eduardo Belga – Ilustrações
E pra fechar os destaques de agosto, as mórbidas ilustrações de Eduardo Belga.

Milhouse precisa de você no Zona Punk Teenage Riot!

por Ana Alice

Meu povo querido,
Taí o cartazinho bunito do festival do Zona Punk, do qual a Milhouse tem o orgulho de participar. A gente convida a todos os fãs, amigos, vizinhos, cachorros e papagaios que tenham alguma simpatia pela banda a comparecerem.
Além do sambeleza punk-brega costumeiro, a data é muito especial porque vai rolar uma votação lá na hora, no festival mesmo, para o público eleger a melhor banda. Quem levar esse pódio toca em outra data no glorioso Hangar 110, reduto clássico do underground brasileiro.
Anota aí na agenda, não esquece e leva sua mãe, seu pai, seu primo…

10 posts mais acessados de julho

É isso aí, molecada, apesar da nossa mudança de endereço tivemos um ótimo resultado de audiência em julho. Os posts mais acessados criados neste mês foram:

1)Milo Manara: Poeta Pornógrafo dos quadrinhos eróticos
Quando o post campeão não é de uma mulher com pouca roupa, ele é sobre um cara que desenha mulheres com pouca roupa…

2)Beth Ditto – Musas Rock ‘n’ Roll
E vejam que nossos leitores não tem preconceito com gordinhas, contanto que elas estejam com pouca roupa.

3)Breve história do rock de Penápolis (1985-2003)
Eis que os roqueiros do noroeste paulista marcam presença no Punk Brega!

4)Famosas Nuas – Poesia
E as mulheres com pouca roupa fazem sucesso até quando são tema de poesia.

5) Top 5: Gatas do Metal
Até quando elas tocam música pesada…

6)Jaimie Livingston – Photo of the Day: 1979 – 1997
Acabado o reinado da mulherada, o interessante projeto fotográfico de Jaimie Livingston garante seu lugar no ranking de julho.

7)Top 10: Bandas mais bizarras do metal
A coluna metal do amigo Diego Sanches marca mais uma posição com esse Top 10 bizarro

8) 10 posts  mais acessados de junho
Vocês gostam de uma listinha né? Será que foi a Pitty que garantiu 0 ranking do mês passado na oitava posição?

9)Bansky – Grafites e Murais
Os grafites do artista anônimo Bansky mostram que nossa coluna de quinta-feira está bombando!

10) O que “O Retrato de Dorian Gray” tem a ver com metrossexuais, colírios e o goleiro Bruno?

Aeee, pelo menos um postzinho intelectual para fazer pose!

Top 5: Bandas gaúchas prediletas

Wander Wildner, o mestre punk brega

Em homenagem aos meus amigos gaúchos, aí vai meu Top 5 melhores bandas gaúchas. Segui meu gosto pessoal como único critério jornalístico 🙂

-Leia entrevista exclusiva com Wander Wildner

1) Júpiter Maçã

O doidão Júpiter Mação é foda. Seu primeiro disco “A Sétima Efervescência” é pra mim o melhor do rock gaúcho e um dos melhores do rock nacional. Não gosto muito da fase bossa em inglês dele(Jupiter Apple), mas esse último disco(de onde saiu esse clipe) está bem legal. O Júpiter(ou Flávio Basso) tocou antes no TNT e Cascavelletes.

2)Replicantes

A primeira banda gaúcha que eu amei. Eram punks, mas tinham umas letras engraçadas. Minha banda, Praga de Mãe, tocava essa música.

3)Wander Wildner

O pai do punk brega, Wander Wildner! Saiu dos Replicantes pra fazer um projeto tão legal quanto: fundir a simplicidade e a distorção punk com letras de amor inspiradas em Roberto Carlos e Reginaldo Rossi. Esta música é muito boa: “Quase um alcólatra”.

4)Cascavelletes

Cascavelletes é a banda seminal do rock gaúcho: reunia Frank Jorge(Graforréia) e Flávio Basso(Júpiter Maçã). Pra mim duas das melhores músicas do rock dos pampas são deles: “Morte por tesão” e “O Dotadão deve morrer”. Essa música “Eu quis comer você”, nem é tão legal, mas o vídeo deles tocando esse som no meio da molecada da Angélica(e sendo cantados pela loira “bonito o sotaque deles”) é muito bom. Os caras também tem a melhor demo feita no Brasil.

5)Graforréia Xilarmônica/Walverdes

Pra finalizar um empate. O Graforréia tem uns discos muito bons, mas o show eu achei meia boca. E tem umas músicas muito malucas às vezes. O Walverdes pelo contrário tem um show fodaço, rock ‘n’ roll no talo!

 

VEJA TAMBÉM:
– Entrevista com Wander Wildner

-6 bandas que eu gosto e ninguém gosta 

-5 maiores maconheiros da ficção

 

(Não sou mais aquele) Cara Cool

milhouse-cara-cool 

Fiz essa música em algum dia entre 2003 e 2004, estava na faculdade ouvindo Wander Wildner, Júpiter Maçã e Roberto Carlos. Era ex-punk e trocava o all star pelo chinelo. A piada comigo mesmo acabou servindo pra todo mundo que já pertenceu a algum estereótipo cheio de dogmas: punk, hippie, indie, roqueiro, headbanger, rapper, etc

Cara cool
Já não sou mais aquela cara cool de uns tempos atrás
Que só comprava discos e revistas legais
Não tenho mais aquele guarda-roupa irado
E acho até que estou apaixonado.

Não sou mais!
Aquele cara cool de uns tempos atrás } Ref

Já não assisto os filmes do Zé do Caixão
E até achei legal Terra em Transe no Cine Corujão.
Meu corpo não agüenta, as velhas chapadeiras
E não tem breja na minha geladeira.
Já não escuto tanto o velho punk rock
E outro dia fui numa balada que só tocava samba-rock
Esqueci do aniversário do Kurt Cobain
E das bandas da Inglaterra eu não conheço mais ninguém

Ref

Já não uso all-star ou toco guitarra na balada
E até penso em costurar minha velha calça rasgada.
Pareço brega ou velho quando me olho no espelho
E estou pensando em cortar o meu cabelo.

Democlipe de “Cara Cool”

Tu, Amigo – Banda Milhouse

 

Titi gritando em show da banda Milhouse

Titi gritando em show da banda Milhouse

Ouça(porque não dá pra enxergar nada) a música “Tu, Amigo”, composta por TiTi Montanari, ao vivo no Motel Harmony, em São Paulo
“Ele mudou trocou os seus amigos por um grande amor!!!!!!!”
A letra ta ai embaixo:

 

Tu Amigo( TiTI Montanari)
Por que amigo mudaste desse jeito
trocaste os irmãos por um belo par de peitos
Tu ainda és jovem, ouça o que te digo
se chifre levares irás procurar um amigo

Ele mudou, trocou os seus amigos por um grande amor
Ele mudou…

Querido amigo foste da amizade o carrasco
foi foda aceitar tu não pagares o churrasco
Triste companheiro, fingir não adiantará
por que aqui se faz aqui há de se pagar

refr.

Grana e garotas não te acompanharam
Quando partires pra outra
Terás um amigo ao caixão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...