Ouça “Nós somos a América do Sul (disco completo)” um clássico do hardcore brasileiro gravado pelo Psychic Possessor em 1989

Capa do clássico "Nós somos a América do Sul"

Capa do clássico “Nós somos a América do Sul”

Quando a banda Psychic Possessor começou em Santos, ela tocava uma mistura de trash metal e crossover (a fusão de metal e hardcore). O que era bem avançado pro Brasil da época. Recordando: o ano era 1986. O Ratos de Porão ainda não tinha gravado seu clássico “Cada dia Mais Sujo e Agressivo”, nem o Lobotomia tinha lançado seu primeiro disco. Em 1988, Psychic Possessor lançou seu primeiro disco, o cult “Toxin Diffusion“, pela Cogumelo Records, que ganhou fãs fiéis ao redor do mundo, mas vendeu pouco.  A banda passou, então, por uma grande mudança de formação (só ficando o guitarrista Zé Flávio) que mudou o som do grupo, eliminando o lado metal e os levando a um som inspirado pelo hardcore americano dos anos 80 (Agnostic Front, Gorilla Biscuits, Minor Threat, etc) – o que ainda era uma novidade pro Brasil. O punk nacional tinha basicamente duas grandes escolas de influências: o hardcore oitentista de bandas inglesas e finlandesas de um lado e o crossover do outro. Havia exceções (como o Garotos Podres), mas nenhuma soava como o disco que marcaria o nome do Psychic Possessor na cena nacional: “Nós somos a América do Sul”.

Para manter o contrato com a Cogumelo (que previa mais um disco), resolveram não mudar o nome da banda e lançaram “Nós somos a América do Sul”, em 1989, que acabou tornando-se um pequeno clássico do HC nacional com uma boa produção e a excelente bateria de Boka (hoje no RDP) segurando a cozinha. Entre os destaques estão “S.O.S. Amazônia”, “América do Sul” e “Capitalismo” (regravada pelo RDP no disco “Feijoada Acidente? – Brasil”). Dá pra ouvir o disco na íntegra no link abaixo:

As faixas são:

1. Ação Terrorista
2. Porque Razão?
3. Capitalismo
4. Aposentados
5. Heróis
6. Vítimas de Miséria
7. Vote Nulo
8. Disciplina Militar
9. S.O.S. Amazônia
10. Cubatão
11. Desarme
12. Aicreuqonrevog
13. Consciência Nacionalista
14. Desespero
15. O Mundo Nos Sufoca
16. América do Sul

Videoteca do Brega: “Cadeira de Rodas”, Fernando Mendes

Seguindo com nossa seleção de músicas crássicas do cancioneiro brega, hoje pincei para vocês “Cadeira de Rodas” do Fernando Mendes. É uma ideia  de som bem legal que o cantor teve depois de ver uma fã cadeirante no seu show. Coloca a portadora de necessidades especiais como musa, mostrando como a música brega popular pode ser moderna em suas temáticas. E isso bem antes de Roberto Carlos achar que estava agrando as minorias fazendo música pra míope, baixinha e gordinha. 🙂

Sucesso nos anos 1970, Paulo Mendes foi redescoberto quando Caetano Veloso gravou a sua “Você Não Me Ensinou a Te Esquecer”, para a trilha sonora do filme “Lisbela e o Prisioneiro”.

Cadeira de Rodas – Letra:

Sentada na porta,
Em sua cadeira-de-rodas ficava.
Seus olhos tão lindos,
Sem ter alegria,
Tão triste chorava.

Mas quando eu passava
A sua tristeza chegava ao fim.
Sua boca pequena,
No mesmo instante,
Sorria pra mim.

Aquela menina era a felicidade
Que eu tanto esperei,
Mas não tive coragem e não lhe falei
Do meu grande amor e agora,
Por onde ela anda, eu não sei.

Hoje eu vivo sofrendo e sem alegria.
Não tive coragem bastante pra me decidir.
Aquela menina em sua cadeira-de-rodas
Tudo eu daria pra ver novamente sorrir.

Caetano cantando Paulinho

Veja também:
-Wander Wildner e minhas bandas gaúchas preferidas
-Rock indie brega de primeira qualidade
-Punk Brega Nerd

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...