40 melhores bateristas de heavy metal

Usando como base as listas de melhores bateristas da história do rock e melhores bateristas dos últimos 25 anos da Rolling Stone somadas ao ranking do site Digital Dream Door, montei a listinha abaixo. Não está em ordem hierárquica e, é claro, vai gerar polêmica, por isso solicito gentilmente que vocês deixem suas sugestões nos comentário & confiram nossos outros rankings de melhores bateristas!

-100 Melhores bateristas da história

-10 maiores bateristas de rock do Brasil

-Melhores bateras dos últimos 25 anos


Dave Lombardo
 (Slayer)


Joey Jordison
(Slipknot)

John Bonham (Led Zeppelin)


Mike Portnoy
 
(Dream Theatre)


Danny Carey
 (Tool)


Ian Paice
 (Deep Purple)

The Rev (Jimmy Sullivan) (Avenged Sevenfold)

Cozy Powell (Rainbow/Whitesnake)


Matt Cameron
 (Soundgarden)

Virgil Donati (Planet X)

Bill Ward (Black Sabbath)

Vinnie Paul (Pantera)

Alex Van Halen (Van Halen)

Nicko McBrain (Iron Maiden)

Gavi Harrison (Porcupine Tree)

Scott Rockenfield (Queensryche)

Tommy Aldridge (Whitesnake)

Mike Bordin (Faith No More)

Lars Ulrich (Metallica)

Igor Cavalera(Sepultura)

Mike Sus (Possessed)

Jason Rullo (Symphony X)

Raymond Herrera (Fear Factory)

Brann Dailor (Mastodon)

Matt McDonough (Mudvayne)

Scott Travis (Judas Priest)

Joey Kramer (Aerosmith)

Gene Holgan (Death)

Downey (Thin Lizzy)

Nicholas Barker (Dimmu Borgir)

Paul Bostaph (Slayer)

Brad Wilk (Rage Against The Machine)

Matt Sorum (Guns N’ Roses, Velvet Revolver)

John Dolmayan (System of a Down)

Sean Kinney (Alice in Chains)

Thomas Haake  (Meshuggah)

Nick Menza (Megadeth) 

Bobby Jarzombek
(Spastic Ink, Demons and Wizards, Halford)Hellhammer (Mayhem, Arcturus, Dimmu Borgir)– Confira também os melhores baixistas de heavy metal da história

Melhores bateristas dos últimos 25 anos

E o vencedor foi... JOEY JORDISON

A revista inglesa RHYTHM (especializada em bateria e percussão) elegeu os 25 melhores bateristas dos últimos 25 anos, em 2010. Preparado para a polêmica? Aí vai a listinha:

1. Joey Jordison (Slipknot/Korn/Rob Zombie)

-100 melhores bateristas do mundo

2. Mike Portnoy
(Dream Theater)

3. Gavi Harrison (Porcupine Tree)

4. Neil Peart (Rush)

5. Dave Grohl (Nirvana/Foo Fighters/ The Crooked Vultures)

6. Travis Barker (Blink 182/Transplants)
7. Nicko McBrain
(Iron Maiden)
8. Vinnie Colaiuta
(Frank Zappa/Sting)
9. Phil Collins
(Genesis/solo)
10. Chad Smith
(Red Hot Chili Peppers)
11. Brain Dailor
(Mastodon)
12. Steve Gadd
(Eric Clapton/Paulo Simon)
13. Thomas Lang
(session/solo)
14. Stewart Copeland
(The Police)
15. Terry Bozzio
(Frank Zappa/solo)
16. Josh Freese
(A Perfect Circle/ Devo)
17. Cozy Powell
(Rainbow, Black Sabbath e Whitesnake)
18. Jeff Porcaro
(Michael Jackson/Toto)
19. Stephen Morris
(Joy Division/ New Order)
20. Steve White
(Paul Weller/Style Council)

Veja também:
-Melhores guitarristas dos últimos 30 anos
-100 melhores bateristas do mundo
-100 melhores baixistas do mundo

5 melhores músicas de (dor de) corno

Com a licença do mestre @xicosa, Punk Brega elege as 5 melhores músicas da corneira nacional.

5)”A Maçã” – Raul Seixas
O genial Raulzito é autor dessa “melô do corno manso”, em que – ao contrário do Rei Roberto e de Roger do Ultraje – ele condena o ciúme e diz “Sofro, mas eu vou te libertar”.

4)”Me dê motivos” – Tim Maia
A música não foi composta pelo Tim Maia, mas o monólogo cravado por ele na introdução já vale o lugar nessa lista:
“É engraçado, ás vezes a gente sente fica pensando
Que está sendo amado, que está amando e que
Encontrou tudo o que a vida poderia oferecer
E em cima disso a gente constrói os nossos sonhos
Os nossos castelos e cria um mundo de encanto, onde tudo é belo
Até que a mulher que a gente ama, vacila e põe tudo a perder
E põe tudo a perder…”

3)Ronda – Paulo Vanzolini
Vanzolini, um dos maiores compositores de sambas paulistas, ficou famoso por essa dor de corno “com alma feminina” gravada, entre outras, por Maria Bethânia. Dor de corno com sangue no final.

2)”Nervos de Aço” – Lupicínio Rodrigues
Lupicínio Rodrigues é o rei das canções de “dor de cotovelo”. Nervos de Aço é  mais clássica delas. Avó de “Garçom” do Reginaldo Rossi, mas muito mais classuda, foi também gravada por Paulinho da Viola. Supostamente, é baseada em fatos reais.

1)”Garçom” – Reginaldo Rossi
Clássico dos clássicos, grande hino brega, relata a história do cara cujo grande amor vai se casar e mandou uma carta pra lhe avisar. Abaixo a história “apócrifa” da música.

Bônus Track: “Balada do Corno” – Milhouse
Essa música foi originalmente composta por Wando Ramone e Waldick Cavalera da banda de punk brega Cuecas Rosas. É pouco conhecida, mas serve como um hino da auto-ajuda corna com seu terapêutico “Atire a primeira pedra quem nunca sofreu/quem nunca foi corno assim como eu/nunca foi traído”.

6 bandas que eu gosto e ninguém gosta

[Atualizado com os vídeos que o Bravo pediu]

Filosofe comigo: Todo mundo gosta de gostar do que nem todo mundo gosta, mas quem importa gosta.

Deu pra entender? Recapitulando: sempre tem alguém que, assim como você, vai achar cool ouvir aquela banda indie islandesa pra você chamar de alma gêmea, mas… E quando você gosta de uma banda que NINGUÉM gosta?

Fiz a listinha abaixo sabendo que, é claro, meia dúzia de desconhecidos vão compartilhar o (mau) gosto comigo. Mas em geral são nomes que eu cito numa roda e a roda fica em silêncio, não porque não conhece as bandas, mas porque acha uma merda mesmo. São bandas, na maior parte dos casos, muito experimentais para serem pop e muito bregas para serem cool. Vamos lá.

1)Karnak

 

 

 

 

 

Karnak é pra mim a banda mais injustiçada do Brasil. A maioria das pessoas nunca ouviu e não gosta. Já quem simpatiza com o André Abujamra diz que gosta, mas também nunca ouviu. Além de “Juvenar” (hino hippie do último disco, criada em cima da base de “Canon em ré maior do Pachelbel”) e da versão do Zeca Baleiro pra “Alma não tem cor”, pouco se conhece. É uma pena, a banda era uma big band bem-humorada com os melhores músicos de São Paulo, letras engraçadas e um vocalista carismático. Tudo isso com REFRÕES fáceis!
 Ouça: O disco primeiro disco “Karnak” e o terceiro “Estamos adorando Tóquio”
Se o mundo fosse justo: Tocaria em todas as rádios.

2)The Funk Fuckers

 

 

 

 

 

 

 

Em algum lugar entre a psicodelia black do Funkadelic, o sexo movido a slaps do Red Hot e a maconha do Planet Hemp estava o Funk Fuckers, a primeira banda do B.Negão que depois faria um monte de coisas legais no Planet, carreira solo e uma caralhada de parcerias. As letras do Funk Fuckers eram sexistas e sexuais, quase ingênuas, mas sua cozinha sonora era furiosa e dava sustentação pra três vocalistas com swing e carisma. O baixista, Mortadelo “Bass” Gee, fez uma das melhores performances de funk rock brasileiras detonando nos slaps em faixas como “Brasileiro” e “Hold La (Big Pemba)”. Ideal para bailes, festas e afins.
 Ouça: O único disco dos caras “Bailão Classe A”.
Se o mundo fosse justo: Teria feito metade do sucesso que os Mamonas fizeram.

3)Blood for Blood

 

 

 

 

 

A culpa todo é do meu primo Joe, que me apresentou essa PORRADA sonora quando eu, jovem de 19 anos recém completos, passei um mês e meio em Washington. É hardcore sangue no olho direto de Boston. A banda foi formada em 1994, e traz um som mal-educado cantado pela fina flor white trash americana.
Ouça: O disco “Outlaw Anthems” no talo!
Se o mundo fosse justo: Teriam contrato para fazer animação de todas lutas do UFC

4)Devotos (do Ódio)

 

 

 

 

 

Canibal, o líder dos Devotos, chegou a ficar conhecido do grande público por suas participações como boleiro no “Mtv Rock e Gol”, mas poquíssima gente realmente parou pra escutar o som old school dos pernambucanos. Músicas como “Eu tenho pressa”, “Vida de Ferreiro” e “Luz da Salvação” pareciam saídas de um disco clássico do punk nacional dos anos 80, mas com ótima produção (a cargo de Lúcio Maia, da Nação Zumbi) e sotaque nordestino. Devotos deveria estar no Top 5 de qualquer punk brasileiro, mas é difícil até achar suas músicas no Youtube.
Ouça: O disco “Agora tá valendo” inteirinho até furar.
Se o mundo fosse justo: Tocaria nas rádios rock no lugar do CPM22.

5)Zebda


 

 

 

 

 

Zebda é um grupo francês engajado que não caiu na graça dos “sujinhos” brasileiros. Formado em Toulouse em 1985, com integrantes de diversas origens e nacionalidades, o som dos caras é uma mistura de rock, reggae, rap, chanson francesa, ritmos latinos e árabes. Os caras ainda lançaram um projeto paralelo difícil de pronunciar, Tactikollectif, onde gravaram versões modernas para diversos clássicos engajados.
Ouça: “Tomber la Chemise” e o disco paralelo “Les Motivés”
Se o mundo fosse justo: Fariam jingles de campanha pra animar o horário político.

6)Surf Punks

 

 

 

 

 

 

 

Engraçados, barulhentos, toscos e… desconhecidos. Eu mesmo nunca tinha ouvido falar desses “Beach Boys dos três acordes” até 2012. Os vídeos dos caras são uma lindeza só e o som é uma mistura de punk pop, new wave e surf music. Não ouça, ASSISTA!

Assista: “My Beach” e “1984”
Se o mundo fosse justo: Seriam matéria obrigatória nos colégios e internatos.

Outras bandinhas malditas:
Cascavelletes, Arrigo Barnabé e Banda Sabor de Veneno, Olho Seco, Faces do Subúrbio, Câmbio Negro, Ska-P, Crass, Sham 69, Thee Butcher’s Orchestra, Richard Hell and The Voidoids…

Veja também:
-6 discos para começar a ouvir jazz
-5 maiores maconheiros da ficção
– 5 discos injustiçados do rap nacional

Personagens mais estúpidos dos desenhos animados – Top 5

Sexta-feira é dia de vídeos. Não gostou? Vai assistir a novela!

Roteiro e Apresentação: Fred Di Giacomo
Direção: Miryam Rahme

Tá sem paciência de assistir ao vídeo? A gente adianta o campeão: Pinky, da dupla Pinky e Cérebro 😛

Livros que eu li em 2011 – Retrospectiva

Eu gosto de listas e gosto de livros. Por isso faço essa retrospectiva todos os anos, que me dá uma sensação de “que legal, não gastei todas minhas horas livres no bar.” Livros são aulas com os melhores professores da humanidade e diálogos com caras que você não encontra fácil no boteco da esquina. Acho que esse ano fiz as pazes com alguns clássicos, descobri alguma coisa de literatura contemporânea e me dediquei um pouquinho à teorias de web/games.

-Livros que li em 2010


39)Lord of the Flies,
William Golding***
38)Caprichos e Relaxos, Paulo Leminski *****
37) Religião para Ateus, Alain de Botton *****
36) Alguma Poesia, Carlos Drummond de Andrade *****
35) José, Carlos Drummond de Andrade ****
34) A Rosa do Povo, Carlos Drummond de Andrade ***
33) A Theory of Fun for Game Design, Raph Koster *** */*
32) Lolita, Vladimir Nabokov *****
31) Tartufo, Moliére *** */*
30) A insustentável leveza do ser, Milan Kundera *****
29) Livro das Perguntas, Pablo Neruda ***
28) Máquina de Pinball, Clarah Averbuck, ****
27) Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto *****
26) O primeiro terço, Neal Cassady *
25) O Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams** */*
24) Ficções, Jorge Luis Borges ****
23) A Arte da Guerra, Sun Tzu **
22) Crash: uma breve história da economia – da Grécia Antiga ao século XXI, Alexandre Versignassi *****
21) Mingutas, Edson Veiga Jr. *** */*
20)A invenção de Morel, Adolfo Bioy Casares ****
19) A Noite do Oráculo, Paul Auster ****
18) Obra Completa, Murilo Rubião *** */*
17)Women, Charles Bukowski *****
16)Carnaval, Manuel Bandeira ***
15) Mar Inquieto, Yukio Mishima ***
14) Beat Memories: The Photographs of Allen Ginsberg, National Gallery of Art ****
13) Vida, Keith Richards **
12)Sonetos do Amor Obscuro e Divã do Tamarit, Federico Garcia Lorca ***
11)1984, George Orwell *****
10)Hamlet no Holodeck – o Futuro da Narrativa no Ciberespaço, Janet H Murray ***

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9) As entrevistas da Paris Review, vários *****
8)O convidado Surpresa, Grégoire Bouillier *** */*
7)Viagem ao fim da noite, Louis Ferdinand Céline ****
6)Os anões, Verônica Stigger ** */*
5)El Cartero de Neruda, Antonio Skármeta ***


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4)A vida de Pi,Yann Martel *****
3)O livro de Haicais, Mario Quintana ***
2)Antologia Breve, William Carlos Williams ***
1)Hells Angels, Hunther S. Thompson ****

Livros que eu li em 2010 – Retrospectiva

Ainda no clima das listas de final de ano, refaço aqui minha tradicional (hahaha, tradicional mas só interessante pra mim mesmo, provavelmente) retrospectiva de livros que li no ano. Não fui tão nerd quanto em 2009, li um pouco menos e esqueci de ir anotando os livros enquanto ia terminando, mas acho que estão todos aí. Tentei voltar a ler um pouco de teoria, atacando um Marx aqui, um livro sobre jornalismo ali e outro sobre filosofia zen acolá…


25) Poema Sujo, Ferreira Gullar ****

24)Mãos de Cavalo, Daniel Galera *****

23)Newsgame: Jounalism at Play,
Bogost, Ferrari, Schweizer ****

22)O Manifesto Comunista, Karl Marx e Frederick Engels ****

21)Os prisioneiros,
Rubem Fonseca *** */*

20) O Alienista/O Espelho, Machado de Assis ****

19)A Arte de Causar Efeito Sem Causa, Lourenço Mutarelli, ***

18) Noturno do Chile, Roberto Bolaño ***

17)Nosso GG em Havana, Pedro Juan Gutiérrez **** */*

16) O Som e a Fúria, William Faulkner **** */*

15) Lúcia McCartney, Rubem Fonseca ****

14) O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde ****

13) Não devemos nada  a você, Daniel Sinker *****
12)Historia Das Ideias e Movimentos Anarquistas – Vol 1,
George Woodcock *****

11)Uma temporada no inferno, Arthur Rimbaud ****

10) O Amante de Lady Chatterley, D.H. Lawrence ***  *1/2

09)Oficina de Escritores – Um Manual para a Arte da Ficção, Stephen Koch ****

8)O Livro  dos Abraços, Eduardo Galeano *****

7) A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen, Eugen Herrigel ****

6) Septuagenarian Stew,
Charles Bukowski ***

5)Onde vivem os monstros, Maurice Sendak *** */*

4)Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley *** */*

3)Cuca Fundida, Woody Allen ***

2) Estação Carandiru, Drauzio Varella *** */*

1)Seis personagens a Procura de um autor, Luigi Pirandello *****

-Resenhas de livros
-Leia alguns contos

Quadrinhos:
7) Cachalote,
Daniel Galera e Rafael Coutinho *****
6) Zap Comix, R Crumb e vários ****
5)Gênesis, Robert Crumb *****
4)Beleléu, vários ****
3)Grito do Povo, Tardi e Vautrin **** */*
2)Complô: A História Secreta dos  Protocolos dos Sábios do Sião,
Will Eisner *****
1)O Sonhador , Will Eisner*** */*

Clássicos da literatura erótica – Top 5

-Conto picante: “Sexo virtual, pop e desencontros”

Sexta-feira quente na TV Punk Brega, preparamos um vídeo com os 5 maiores clássicos da literatura erótica. Confira abaixo ou leia o ranking, abaixo do player 😀

 

Tá com preguiça de assistir o vídeo? Confere o top 5 aí embaixo!

5) “Lolita” – Vladimir Nabokov
lolita-capa-literatura-erotica
4) “Decameron” – Boccaccio
decamerão-capa-eróticos

3) “Henry & June” – Anaïs Nïn
Henry -June-eroticos

2) “Trópico de Câncer” – Henry Miller

tropicofcancer-1

1)Kama Sutra – Mallanaga Vatsyayan

O maior clássico da literatura erótica vem da Índia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-Compre agora: o “Kama Sutra” de Milo Manara

Leia também:
Conto: Mulheres – Anjas Tortas

20 melhores discos nacionais dos anos 90 – Showbizz

Capa da edição da Bizz que listava os 100 melhores discos da década de 90

Em 1999, a minha revista favorita era a Showbizz.(Sim, naquele tempo a clássica Bizz tinha mudado de nome). Como a internet discada (???)  era uma carroça, era na Showbizz que eu acompanhava o que rolava na música, descobria discos novos e lia entrevistas com os ídolos nacionais e gringos.

Com esse revival dos anos 90 que está pintando, resolvi resgatar esse top 20 dos discos nacionais daquela década. Ele foi publicado numa revista com o aviso “edição histórica” (número 172)  e a foto do rosto de Kurt Cobain estourada na capa P&B.

1) “Raimundos” (1994) – Raimundos

2) “Calango” (1994) – Skank
calango-skank-capa

3) “Samba esquema noise” (1994) – mundo livre s/a

4) “Roots” (1996) – Sepultura
Sepultura_-_Roots-capa

5) “… Cor-de-Rosa e Carvão” (1994) – Marisa Monte

cor-de-rosa-e-carvao-marisa-monte

6) “Manual Prático para festas, bailes e afins” (1997) – Ed Motta


7) “Da Lama ao Caos” (1994) – Chico Science & Nação Zumbi

8 ) “Sobrevivendo no Inferno” (1997) – Racionais MC’s

9) “Usuário” (1995) – Planet Hemp

10) “Hey Na Na” (1997) – Paralamas do Sucesso

11) “Preste Atenção” (1996) – Thaíde & DJ Hum
12) “Eu e Memê, Memê e Eu” (1995) – Lulu Santos
13) “Sobre todas as forças” (1994) – Cidade Negra
14) “Bebadosamba” (1996) – Paulinho da Viola
15) “Samba pra Burro” (1998) – Otto
16) “Gol de Quem?” (1995) – Pato Fu
17) “Na calada da noite” (1990) – Barão Vermelho
18) “Rappa-Mundi” (1996) – O Rappa
19) “Mamonas Assassinas” (1995) – Mamonas Assassinas
20) “O descobrimento do Brasil” (1993) – Legião Urbana

Outras listas:
-5 discos injustiçados do rap nacional
-6 disco para começar a ouvir jazz
-10 melhores discos dos anos 2000

Bandas punk paulistas dos anos 80 – Top 5

Sexta-feira é o dia da TV Punk Brega sintonizar vídeos punks e documentários roots.

Ratos de Porão na época do disco "Descanse em Paz"

 

Gostem os xiitas do punk ou não,  o movimento musical chegou ao Brasil ao mesmo tempo em dois estados e de formas bem diferentes. Em Brasília, filhos de diplomatas de classe média alta traziam discos ingleses de suas viagens e começaram a montar bandas inspiradas em Sex Pistols e Clash.  A primeira de todas foi o Aborto Elétrico, em 1978. No mesmo ano, surgia nos subúrbios operários o Restos de Nada, inspirado por Stooges, Mc5 e Ramones. Enquanto o punk brasiliense descambaria no rock de Legião Urbana e Plebe Rude, o hardcore paulista se endureceria e espalharia-se pelas quebradas da megalópole dando origem a bandas como Fogo Cruzado, Hino Mortal e Condutores de Cadáveres. Abaixo selecionei vídeos das 5 maiores bandas do punk/hc paulista surgidas nos anos 80. Divirta-se!

Ratos de Porão – “Crise Geral”

Garotos Podres – “Garoto Podre”

Cólera – “Palpebrite”

Inocentes – “Rotina”

Olho Seco – “Isto é Olho Seco”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...