Conheça a arte punk de Winston Smith

God-Told-Me-to-Skin-You-Alive-winston-smith
Se você é fã de Green Day já sabe de onde saiu a capa do quarto disco da banda “Insomniac”(foi da ilustra acima, oras…). Mas Winston Smith(1952, codinome retirado do livro “1984”) ficou famoso pela associação com outra grande banda punk, o Dead Kennedys. O artista foi o responsável pelo famoso logo da banda e também pela polêmica capa do EP “In God We Trust Inc.“, que fez o álbum ser chutado da Inglaterra e perseguido nos EUA. Suas colagens retiradas de revistas dos anos 40, 50 e 60 foram publicadas em revistas mainstream e undeground como Wired, Planet Punk, Spin e Playboy.

nevergiveup-winston-smith

 

originalmente postado 22/07/2010

Pornô – Rafael Coutinho

Quinta-feira é dia de fazer arte no Punk Brega
A pornoarte do artista de "Cachalote"

A descrição oficial do trampo do cara:
Nasceu em São Paulo em 1980 e se formou em Artes Plásticas pela UNESP em 2004. Produziu curtas-metragens como animador e diretor (“Aquele Cara”-2006 e “Ao Vivo”-2008), e participou de importantes publicações como quadrinista (“Bang Bang”- ed. Devir-2005, “Contos dos Irmãos Grimm”- ed. Desiderata, “Cachalote” – Cia. das Letras-2009). Foi integrante do grupo Base-V, produzindo murais, exposições e publicações de arte experimental. Novidades sobre o trabalho de Rafael Coutinho no blog do cara.

Veja também:

-As pin ups modernas do fotógrafo Wandeclayt
-Milo Manara, o mestre dos quadrinhos eróticos

Clube de Ideias – Sabrina Barrios

Quinta-feira, um respiro para arte aqui nesse espaço Punk

Clube de Ideias foi um blog coletivo que reuniu escritores, artistas, cineastas e vagabundos bem(mal)intencionados. O belo topo do blog foi uma colaboração da artista e designer Sabrina Barrios.

-Mais trabalhos da Sabrina Barrios
-Imagens Multiestáveis, da fotógrafa Nati Canto

Nati Canto – Imagens Multiestáveis

Quinta-feira, dia de reunir novos fotógrafos, designers e pintores para um happening virtual


Segundo a própria:
Não é formada em fotografia e não sonhou desde cedo em ser fotógrafa.  Nati Canto já migrou do jornalismo para a literatura e desta para a gastronomia. Já publicou nas revistas Playboy, Bravo!, VIP, Nova Escola, entre outras.


Conheça mais do trabalho da fotógrafa em seu site oficial.

Veja também:
– Erotismo ciberpunk nas fotos de Wandeclayt
– Hey, take a walk on the wild side com as fotos de Diane Arbus

Frank Kozik – Design rock ‘n’ roll

Quinta-feira, abrimos a casa para novos artistas ou clássicos undeground. Mande seus rabiscos pra gente.

Frank Kozik é um dos designers mais importantes do rock ‘n’ roll dos anos 90. Fez pôsteres e capas de discos para uma calharada de bandas que inclui Nirvana, Pennywise, Pearl Jam e a clássica capa do disco “Americana” do Offspring.

Além de seu trabalho gráfico, Kozik também produziu dezenas de brinquedos, Toy Art e esculturas e toca o selo Man’s Ruin que lança rock ‘n’ roll em vinil.

Ao contrário da maioria de seus pares, Kozik é um punk neoliberal, que defende a liberdade de mercado do capitalismo – posição polêmica numa cena sempre ligada à esquerda. Conheça mais do trabalho do cara em seu site oficial: http://www.fkozik.com/

Veja também:
Não devemos nada a você: a Bíblia do punk moderno
-Miranda July: a designer punk que caiu no gosto dos moderninhos


Wandeclayt – Arte Ciberpunk

Quinta-feira selecionamos jovens artistas e clássicos underground em nosso vernissage punk

by Wandeclayt

 

Wandeclayt é fotógrafo, músico e ainda toca o zine Overclock. Suas fotos tem ecos ciberpunk, fetichistas e de pin ups. Ele também é um dos responsáveis pelo estúdio fotográfico/escola de fotografia Buker Media, de Santa Maria – RS.

Laranja Mecânica, by wandeclayt

Eduardo Belga – Ilustrações

Quinta-feira é dia de arte. Punk Brega expõe jovens artistas e clássicos underground!

Eduardo Belga é um artista brasiliense, fã de filmes de terror e morbidamente fascinado por anatomia – segundo ele, talvez influenciado por seu pai ser ortopedista. Belga faz um belo trabalho na revista Mundo Estranho na série “Retrato Falado”. Por indicação da amiga Sabrina Barrios, selecioamos uma série dos seus trabalhos mais autorais pro Punk Brega. Você pode conferir mais material de primeira no flickr do cara.

Pedro Bell, o gênio da arte psicodélica negra e autor de várias capas do Funkadelic, está quebrado

Quinta-feira, novos artistas ou clássicos doidões têm seu espaço em nosso vernissage Punk Brega.
pedro-bell-funkadelic-arte
Pedro Bell está quebrado. O criador das marcantes capas de discos do “Parliament-Funkadelic” vive sem grana e quase cego, e pensa em vender suas obras originais para pagar as dívidas. Mas quem é Pedro Bell?

Pedro Bell é um genial artista e ilustrador afro-americano que teve seu auge entre os anos 70 e 80.

O responsável por levar a psicodelia para os guetos negros, misturando a arte lisérgica hippie com a cultura de rua e criando uma forte identidade visual para o combo funk liderado por George Clinton. Bell também escreveu vários dos textos presentes nos discos do “Parliamente-Funkadelic” e criou o “scartoon” “Larry Lazer” transmitido pela Mtv.

Este é Pedro Bell. E ele está sem um puto no mundo das Mp3.

pedro-bell-funkadelic

Bansky – Grafite e Murais

“Maid in London”

Quem é Bansky? Um grafiteiro. Um ativista. Um artista e um marginal. Quando nasceu? Uns dizem 1974, outros 1975, é quase certo que sua cidade natal ainda seja seu lar – a inglesa Bristol. Reza a lenda que o moleque era filho de um operador de fotocopiadora, que foi expulso da escola aos 14 anos e preso por pequenos delitos. Começou a grafitar nos muros britânicos ainda nos anos 80, mas pra economizar e não ser pego pela polícia, adotou a técnica de Stencil. Talvez essa seja apenas uma versão romanceada para justificar um estilo que tem entre seus similares Blek Le Rat e os trabalhos gráficos dos músicos anarco-punks do Crass.

“Girl and Soldier”, Palestina

Seus murais têm em geral conotações de crítica política, social ou culturais. O semi-anônimo arti(vi)sta já passou por diversos lugares do mundo como New Orleans(EUA) e a Palestina, deixando belas marcas nas paredes relacionadas a história local. Bansky não vende fotos de seus trabalhos, ele sugere que os compradores de suas obras se virem com os donos da parede para levá-las.

Mais Bansky:
-80 belos crimes urbanos de Bansky
-Site oficial

“Rat and Girl”, New Orleans
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...