3 filmes que me fizeram chorar e um que derrubou meu próprio pai

Macho que é macho não chora vendo filme? Talvez não vendo “Free Willy”(o amigo Gabriel Gianordoli jura que conhece alguém que já se comeveu com a história de amizade entre um guri e uma baleia)ou alguma comédia romântica. Nem algum dramalhão feito pra te afogar em pranto como “O óleo de Lorenzo”, mas sempre tem um filminho que te cutuca a ferida e se não te faz cair no choro, pelo menos te deixa com aquele nozinho preso na garganta. Na faculdade, eu decidi não segurar mais o choro e soltar as lágrimas. Ai vão três filmes que me derrubaram:

Adeus, Lênin – Fim da utopia socialista e uma mãe em estado terminal
good-bye-lenin

Invasões Bárbaras – Pai e filho passando a relação a limpo antes que o pai morra

Peixe Grande Definitivamente, tenho que falar mais sobre meus pais na terapia, he, he, he 😛

E pra provar que macho chora mesmo, até meu pai que é todo durão, ficou que nem criança desmamada quando reviu:

“A felicidade não se compra”

E você? Que filme te fez chorar?

3 filmes essenciais: “Ladrões de Bicicleta”, “A felicidade não se compra” e “A General”.

Inspirado pela listinha da Bravo! de “100 filmes essenciais”, passei meu fim de semana chuvoso em Penápolis assistindo alguns clássicos preto e branco do acervo do meu velho pai:

ladroes-de-bicicleta2

-A General, Buster Keaton, 1927(EUA).
Buster Keaton ficou por muito tempo na sombra de Charles Chaplin com que o comparavam pelo estilo de humor que faziam nos tempos de cinema mudo. Mas Keaton é diferente, seu humor é mais físico e acrobático(uma espécie de Jackie Chan do começo do século), seus personagens são mais sérios e seu roteiro menos crítico. A General é uma história passada na Guerra Civil americana, em que Keaton é um maquinista Confederado que se mete em uma aventura para resgatar sua locomotiva(A General) e sua amada. As cenas de perseguição envolvendo vários trens impressionam, ainda mais tendo sido gravadas na década de 20.

Ladrões de Bicicleta, Vittorio de Sica, 1948(Itália).
Ambientado na Itália pós-Segunda Guerra Mundial, o filme de Sica mostra um país miserável, onde homens desesperados fazem qualquer coisa por um trabalho ou mesmo um biscate. Antonio precisa de uma bicicleta para conseguir um emprego colando cartazes. Para isso sua mulher(personagem muito mais obstinada que ele, sempre meio apático) vende todo enxoval do casal. Logo na primeira semana o azarado Antonio tem sua bicicleta roubada e saí numa busca desesperada pela cidade acompanhado de seu filho Bruno(o ator mirim Enzo Staiola, grande destaque do filme).

-A felicidade não se compra, Frank Capra, 1946(EUA).
Até hoje “It’s a Wonderful Life” era pra mim o filme que fazia meu pai durão chorar. Assisti esperando algo barra-pesada, mas trata-se de um clássico de natal, com ritmo que envolve o espectador até nos dias hoje narrando a história de George Bailey.(Americano que passou a vida em prol dos outros e afogado em dívidas pensa em se matar.) Não senti nem sinal de nó na garganta até o final que realmente tem um puta impacto emocional

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...