Entrevista com Laerte, maior quadrinista do Brasil

sunglassesNessa minha pequena grande carreira de jornalista, pude entrevistar alguns grandes ídolos da minha vida. Se falei com Zé do Caixão e João Gordo pessoalmente, alguns desses bate-papos foram apenas virtuais. Esse foi o caso  da entrevista com @ grande quadrinista Laerte – ídol@ de minha infância e adolescência com seus quadrinhos geniais dos Piratas do Tietê e Los Três Amigos.

Com o amadurecimento de sua carreira, o trabalho de Laerte só melhora. E com sua saída do armário, encarando o mundo de peito aberto como transgênero, minha admiração por sua coragem e originalidade se redobra.

Chegam de blá-blá-blá. Leiam a entrevista da Laerte no Glück. Mas já aviso: ela não acredita em felicidade.

“Deve ter no estoque” – quadrinho escracha “nova direita brasileira”

Genial quadrinho do site “Dinâmica de Bruto“, do Bruno Maron, escracha os “novos conservadores” brasileiros. Em tempos de “Guia politicamente incorretos”, Veja e partido “Novo” é um alívio que alguém ache tanto pensamento reaça uó. Dica do designer e brother Gabriel Gianordoli.

Veja também:

“Os Malvados” sacaneia os colecionadores de livros

-Conheça a maior revista que o humor nacional pariu: “Chiclete com Banana”

 

5 judeus que mudaram o mundo (e você nem lembra que eles eram judeus)

Apesar de estarmos no século XXI, muitas vezes eu ainda ouço comentários preconceituosos sobre os judeus. Outras tantas eu me deparo com notícias bizarras sobre grupos neonazistas no Brasil. Ora, neonazistas defendem as ideias ultrapassadas de Adolf Hitler – entre elas, exterminar completamente o povo judeu. Você já imaginou a tragédia que seria o extermínio de um povo inteiro? Imaginou um mundo sem judeus? Bom, seria um mundo sem super-heróis, rock pesado, terapia e a Igreja Católica. Duvida? Confira abaixo 5 judeus que mudaram o mundo e pense melhor antes de destilar seu preconceito.

5) Stan Lee
Sim, um mundo sem judeus seria um mundo sem super-heróis. Além de Jerry Siegel e Joe Shuster – criadores do Super-Homem  – serem judeus, Stan Lee um dos caras mais simpáticos e influentes do mundo das HQs nasceu em uma família judia. Lee criou nada menos que o Homem-Aranha, os X-Men, o Hulk, o Quarteto-Fantástico, o Thor, o Homem-de-Ferro… praticamente a MARVEL COMICS INTEIRA. Portanto, qualquer nerd ou fã de Vingadores deveria pensar 1000 vezes antes de ter preconceito contra judeus.

4) Gene Simmons, Kiss
A língua mais famosa do rock n’ roll pertence a um judeu. Isso mesmo, Gene Simmons (vocalista e baixista) do Kiss é filho de uma sobrevivente do Holocausto nazista. Se Hitler não tivesse sido derrotado, provavelmente você não poderia cantar hits como “Rock n’ Roll All Nite” e “Detroit Rock City”. Aliás, o rock pesado está cheio músicos de origem judaica: Slash (Guns n’ Roses), Geddy Lee (Rush), Gery Snider (Twisted Sister)… A lista é mais longa e a língua de Simmons.

3) Sigmund Freud

Ok, essa é mais óbvia, mas é muito importante lembrar que toda a revolução provocada pela criação da psicologia saiu da cabeça desse judeu austríaco. Freud é o pai da psicanálise – criação que ajudou a vida de milhões de pessoas e tem tido diversas de suas teorias confirmadas pelas recentes descobertas da neurociência. Um mundo sem judeus seria um mundo sem terapia e com muito menos conhecimento sobre a natureza humana.

2) Albert Einstein
O nome “Albert Einstein” virou, simplesmente, sinônimo de gênio na cultura popular. Entre os acadêmicos, o cientista alemão foi escolhido muitas vezes como o maior físico da história. Pai da teoria da relatividade e  dono de descobertas fundamentais no desenvolvimento da teoria quântica, Einstein resolveu migrar para os EUA quando Adolf Hitler assumiu o poder na Alemanha. É difícil imaginar que o preconceito nazista poderia ter tirado do mundo uma de suas mentes mais brilhantes.

1) Jesus Cristo
Sim, sim, amigos, não adianta espernear. Para ser judeu, você deve ter nascido de ventre judaico e Maria era judia, assim como a maioria dos que viviam ao redor de Jesus há mais de 2000 anos atrás. O Deus de Jesus era o mesmo Deus judaico do Velho Testamento e Cristo se considerava o messias que os judeus esperavam. A partir daí, crença não se discute, mas é interessante que os cristãos lembrem da origem de jesus, já que a Inquisição passou anos perseguindo e expulsando judeus na Europa. 

Também são judeus Woody Allen, Allen Ginsberg, Silvio Santos, Shia LaBeouf, Seinfeld, Will Eisner, Davi, Moacyr Scliar, Amos Oz …

Animação mistura quadrinhos, origami e filmes de western para contar a história do cowboy que queria matar a morte

A ideia original de Edson Oda era criar uma animação para o concurso de divulgação de “Django Livre”, novo filme do diretor Quentin Tarantino. Como “Malaria” era um projeto muito trabalhoso, Edson inscreveu “The Writer” na competição e acabou finalizando seu segundo projeto só agora há duas semanas.

Malaria from Edson Oda on Vimeo.

O resultado é uma mistura original de quadrinhos, stop motion, origami e filmes de western. Vale muito a pena assistir! Narrativa multimídia de primeira qualidade

Aline Komisky Crumb – Musas

-Fotos de mulheres bonitas e inteligentes

Aline e o marido Crumb

Aline Kominsky-Crumb nasceu em 1948 nos Estados Unidos filha de uma família judia envolvida com o crime organizada. Na juventude caiu de cabeça na contracultura, foi tiete de bandas underground, usou drogas e encheu a cara. Até conhecer Spain Rodriguez (da ZAP Comix) e Kim Deitch e decidir usar seus talentos artísticos para produzir quadrinhos. Participou do projeto coletivo Wimmen’s Comix, criou a revista Twisted Sisters com Diane Noomin, editou a Weirdo e publicou uma série de quadrinhos autobiográficos criados em parceria com o marido Robert Crumb chamada Dirty Loundry. No Brasil, a revista Piauí tem publicado as HQs de Aline com Crumb e a Conrad lançou a coletânea “Essa Bunch é um amor“.

Aline novinha tocando violão com as pernocas à mostra

Aline Kominsky casou com Crumb (seu segundo marido e gênio dos quadrinhos, diga-se de passagem) em 1978, época em que já havia se mudado para São Francisco e começado a produzir HQs underground. Quando ela e Crumb se auto-exilaram na França, Alina passou a se dedicar mais à pintura.

-Confira outras musas com cérebro
-Conheça a Zap Comix, clássico dos quadrinhos underground

-Confira resenha sobre o documentário “Crumb” no qual Aline dá diversos depoimentos

Aline no traço do genial maridão Robert Crumb

Granta transforma conto de Roberto Bolaño em história em quadrinhos feita em HTML5

Pra edição de terror da revista literária Granta um grupo de designers e animadores transformaram a história “The Colonel’s Son’”  do escritor chileno Roberto Bolaño em uma HQ animada programada em HTML5.

É um multimídia não interativo, mas já está bem a frente de outras produções em HTML5. E  tem zumbis! Zumbis existencialistas… Confira o trampo aqui.

Zumbis cults viram HQ em HTML5

O devorador de livros

-Tá a fim de devorar uns livros?

E eu babaca, continue fazendo lista de livros...

Surrupiei lá do blog dos Malvados. Que tem muitas coisas fofinhas e queridas pras pessoas de boa fé como eu e você.

Veja também:
– Daniel Lafayette vê os colegas de trabalho.
-Chiclete com Banana: o clássico anárquico do Angeli
-Ódio:  Versão HQ do grunge
-Aline Crumb: musa com cérebro 

Chiquinha – Quadrinista se destaca em meio dominado por homens

Agora na nossa seção artística de quinta-feira, você também confere o trabalho de jovens quadrinistas

Uma das poucas mulheres a se destacar nos quadrinhos nacionais, Fabiene Bento, mais conhecida como Chiquinha (Porto Alegre, 1984) publica seus trabalhos na Mad,  na Folhateen e na Sexy Premium. Um de seus hábitos prediletos é escrachar as atitudes dos nossos pobres jovens. Confira mais do trabalho dela aqui!

Veja também:
– Daniel Lafayette vê os colegas de trabalho.
-Chiclete com Banana: o clássico anárquico do Angeli
-Ódio:  Versão HQ do grunge
-Aline Crumb: musa com cérebro  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...