Bedibê lança vídeo de “Diálogo de dois amigos” pra encerrar 2016

Pra terminar seu ano produtivo (que teve o belo clipe de animação de “Esquina“, o disco “Envelhecer” e alguns bons shows por São Paulo), a Bedibê lançou um vídeo para “Diálogo de dois amigos” cheio de gravações caseiras que contam a história da banda de 2011 até o finalzinho de 2016, com direito a casamento e filhos surgindo pelo caminho, enquanto o refrão martela o mantra “É pra parar, a vida pede pra gente parar, pra sentir o mundo girar/ A vida pede pra gente parar e não ficar sempre no mesmo lugar”.

Com elogiado clipe em animação, “De Bolso” lança “Envelhecer”, seu primeiro disco.

A banda é nova,  clipe e disco acabaram de sair do forno, mas já vem ganhando elogios e divulgação em veículos como Play TV (onde o clipe de “Esquina” estreia nesse domingo, às 20:30h) Miojo Indie, PdH e Moozyca

A “De Bolso” é uma banda formada, em São Paulo, por Diego Bravo (percussão e vocais), Fred Rocha (baixo, voz e cavaco), Karin Hueck (voz e teclados) e Tiago Van Deursen (voz, violão e gaita)

Assista ao belo clipe de “Esquina”– uma animação do artista mineiro Alisson Lima:

O disco

“São oito composições que flutuam com delicadeza entre a MPB dos anos 1970 e o folk. Um material essencialmente delicado, preciso.”, Miojo Indie

Com influências variadas que vão dos uruguaios do Perota Chingó até Novos Baianos, passando pelo punk rock, mpb e samba clássico, o grupo ficou em estúdio por quase dois anos gravando com o produtor Gabriel Nascimbeni (do disco “Cidade dos Pescadores“), no Trampolim Estúdio. A mixagem foi feita por Fábio Barros e a masterização por Arthur Joly, do RecoHead Records. “Envelhecer” conta ainda com a participação da cantora Ericah Pereira, na suingada “Cantar de Pássaro“, e com os metais de Gustavo Vellutini em “Esquina”, “Gaiola” e “Quatro Horas“. A mistura de instrumentos (charango, cavaco, violão, baixo, gaita, trompete, tuba, teclados, cajon, bateria e muita percussão) dá uma ideia do clima do disco.

Encontros e desencontros
“Eu e o Tiago começamos a nos reunir no  apartamento onde eu morava, no Largo da Batata, pra fazer um som e tocar músicas que não eram nem samba o suficiente pra banda dele, nem rock o suficiente pra minha. Um dia, a Karin tava vendo a gente ensaiando e o Tiago chamou ela pra tocar um piano em uma música. E aí viramos um trio que tocava com cavaco, violão e um teclado de iniciante em um apartamento de um quarto. Por isso DeBolso”, conta Fred.

Pra completar a banda, ele convidou um colega da universidade Unesp-Bauru, Diego Bravo, que tocava numa banda de eletrônico, chamada Strange Music. “Ele entrou pra tocar percussão e aí começamos a compor pra caramba e fazer alguns shows entre 2011 e 2012”, afirma.

Entre alguns shows intimistas, a banda abriu show para o Marcelo Perdido e Hidrocor no Cafofo, em Pinheiros, e tocou em um evento do Zona Punk, no centro. Mas em 2013, Fred e Karin pediram demissão de seus empregos e foram morar em Berlim. “A Banda ficou meio parada, mas o Tiago continuou compondo. A música ‘Esquina’ é dessa época”, conta.

Gravação do disco "Envelhecer"

Gravação do disco “Envelhecer”

Ouça o disco “Envelhecer” completo:

– Spotify:
https://play.spotify.com/artist/1zLViYnVi3Own0KpwNgC8R?play=true&utm_source=open.spotify.com&utm_medium=open

– Soundcloud:
https://soundcloud.com/abandadebolso

Wander Wildner: Galeria de Anti-Heróis

Born to be Wild

 

Wander Wildner (1959 – ) é um cantor e compositor gaúcho. Wander ficou famoso por ser o vocalista da banda de punk rock Replicantes, famosa por seu humor ácido em canções como “Surfista Calhorda”, “Nicotina” e “Festa Punk”. Ao sair da banda, Wander criou o estilo punk brega no disco “Baladas Sangrentas”, misturando influências punk rock à violões folk e letras inspiradas no cancioneiro mais popular e romântico. Entre suas músicas solo está o hit “Bebendo Vinho”, regravado pelo Ira!

História do Heavy Metal em BH – Ruído das Minas

cartaz-ruido-das-minas-documentário
Documentário produzido como TCC (olha só não é tão difícil, hein, molecada?) e exibido na Mtv, desvenda como a pacata BH se transformou na capital brasileiro do heavy metal exportando bandas como Sepultura, Sarcófago e Overdose. O vídeo traz depoimentos das principais bandas da cena e mais galera de fanzines e da clássica gravadora Congumelo Records. Histórias engraçadas, rancor contra o Sepultura  e vídeos e fotos raras estão na receita. Vale muito a pena pra quem se interessa pela história do rock brasileiro.
Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Parte 7

Parte 8

Parte 9

Parte 10

Parte 11

Veja também:

– 10 bandas clássicas do heavy metal brasileiro
-40 melhores bateristas do metal
-Documentário conta a história do punk paulistano

“Free Jazz com palavras” – Jademir Rocha & Fred Di Giacomo

Sim, quinta-feira é a ditadura da arte. Quem não gostar será fuzilado por um pelotão de aquarelas!

jazz-pintura-jademir-rocha-1

Jademir Rocha ganha a vida cuidando de dentes e obturações, mas gosta mesmo – há anos – de pintar e tocar seu sax. Entre desenhos de jazz com grafite, aquarelas e pequenos artesanatos, ele vive em São Paulo em busca de novos discos para sua coleção.

 Inspirado pela série de desenhos de jazz de Jademir, Fred Di Giacomo pediu alguns para ilustrar seu livro ainda imaginário chamado “Bebop Beat”, composto de poemas feitos no calor do momento, seguindo seu fluxo de consciência ao som de Miles Davis e John Coltrane. O primeiro resultado da parceria está aí:

Free Jazz com palavras
Segura só esse solo, sussurrou Ulysses
E se pôs a tocar uma odisséia sonora
Minha mãezinha do céu, Homero é um maestro com as palavras!
Elas voam na estratosfera azul do Harlem, enquanto Têlemaco repete o riff
E Penélope costura notas num bordado de arpejos e beijos
O Cíclope pede um trago a detona o contrabaixo
Eu escuto João Donato, e Posídon é a pedra no meu sapato
Gosto das palavras assim, free jazz e meu fluxo de consciência

O resto é pop.

Fred Di Giacomo mora em Berlim e é autor dos livros “Canções para ninar adultos” e “Haicais Animais. Ele trabalhou por sete anos e meio na Editora Abril como editor-chefe dos sites do Núcleo Jovem e toca na Banda de Bolso.
jazz-ilustracao-jademir-rocha-1

 

Veja também:

– 6 discos para começar a escutar jazz
-“Odisséia”: o clássico que fundou a literatura ocidental

Conheça a arte punk de Winston Smith

God-Told-Me-to-Skin-You-Alive-winston-smith
Se você é fã de Green Day já sabe de onde saiu a capa do quarto disco da banda “Insomniac”(foi da ilustra acima, oras…). Mas Winston Smith(1952, codinome retirado do livro “1984”) ficou famoso pela associação com outra grande banda punk, o Dead Kennedys. O artista foi o responsável pelo famoso logo da banda e também pela polêmica capa do EP “In God We Trust Inc.“, que fez o álbum ser chutado da Inglaterra e perseguido nos EUA. Suas colagens retiradas de revistas dos anos 40, 50 e 60 foram publicadas em revistas mainstream e undeground como Wired, Planet Punk, Spin e Playboy.

nevergiveup-winston-smith

 

originalmente postado 22/07/2010

10 melhores bateristas de rock, segundo a Gibson

– Confira a lista da Rolling Stone com os melhores bateristas do mundo

John Bonham o maior baterista do mundo, segundo a Gibson

John Bonham o maior baterista do mundo, segundo a Gibson

Em 2013, a Gibson (famosa fabricante de instrumentos musicais) divulgou sua lista de 10 melhores bateristas do mundo. Sem muitas surpresas o primeiro lugar ficou com John Bonham do Led Zepellin. O que você achou da lista?

1) John Bonham – Led Zeppelin

2)Neil Peart (Rush)
neil-pert-bateristas-melhores

3) Keith Moon (The Who)
Keith_Moon-melhores-bateristas

4) Dave Grohl (Nirvana, Foo Fighters, Them Crooked Vultures)

5)Lars Ulrich (Metallica)

6)Mike Portnoy (Dream Theater)

7) Ginger Baker (Cream)

8) Josh Freese – (Devo, Nine Inch Nails)

9) Stewart Copeland (The Police)

10) Ringo Starr (The Beatles)

Mais rankings:
– 10 melhores bateristas do Brasil
– Melhores bateristas de heavy metal

-Bateras da atualidade: 20 melhores bateristas dos últimos 25 anos

Aleluia, irmãos! Assista “Jesus Cristo vai voltar” de Wander Wildner e Sangue Sujo

Leia entrevista exclusiva com o pai do punk brega
wander-wildner-punk-brega

Letra:
Jesus Cristo vai voltar.Aleluia!

Em Porto Alegre ele vai morar.Aleluia!

As pessoas vão gostar.Aleluia!

Nossa vida vai melhorar.Aleluia!

Jesus Cristo vai voltar.Aleluia!

Em Porto Alegre ele vai morar.Aleluia!

As pessoas vão gostar.Aleluia!

Nossa vida vai melhorar.Aleluia!

Os cristão pedindo a sua volta esperavam por essa hora

Todos juntos num mutirão pois jesus é a salvação

Todos querem um mundo melhor

Todos querem viver em paz

Agora sim vai ser legal,pq jesus é o canal

Jesus Cristo vai voltar.Aleluia!

Em Porto Alegre ele vai morar.Aleluia!

As pessoas vão gostar.Aleluia!

Nossa vida vai melhorar.Aleluia!

Mas em que bairro Jesus vai ficar?

Em que rua Jesus vai morar?

Na Santa Cecília ou na Conceição?

No Espírito Santo ou na Assunção?

Em que bairro Jesus vai ficar?

Em que rua Jesus vai morar?

Na Santa Cecília ou na Conceição?

No Espírito Santo ou na Assunção?

Todos querem que ele fique na sua rua

Mamãe quer que ele fique lá em casa

Tô achando que isso vai dar uma grande confusão

Mas numa hora dessas cada um é mais cristão

Em que bairro Jesus vai ficar?

Em que rua Jesus vai morar?

Na Santa Cecília ou na Conceição?

No Espírito Santo ou na Assunção?

Mas em que bairro Jesus vai ficar?

Em que rua Jesus vai morar?

Na Santa Cecília ou na conceição?

No Espírito Santo ou na Assunção?

Aleluia!

7 documentários legais sobre rock n’ roll

-Mais artigos interessantes sobre música

A ideia dessa listinha surgiu porque ando interessado em assistir mais coisas legais sobre o velho, sujo e safado rock ‘n’ roll (depois de terminar a caixa de DVDs “Anthology” dos Beatles) e tenho encontrado poucas listinhas na rede. Talvez, essa ajude quem está começando e quem já estiver jogando no very hard pode deixar dicas de filmes legais ai embaixo nos comentários.

1)”No Direction Home”, de Martin Scorcese. Artista: Bob Dylan
no_direction-documentário-rock

Um dos mais elogiados retratos do poeta-que-eletrificou-o-folk foi filmado pelo diretor de “Taxi Driver” e “Touro Indomável”. Foca no período entre 1961 e 1966, do começo acústico do cantor até sua fase “judas”, quando aderiu a guitarra.

2) “Anthology”, de Bob Smeaton. Artista: The Beatles
anthology
Meio chapa branca, por ter sido produzido pelos Beatles, o documentário reúne Paul, Ringo e George para lembrar o passado, revelar curiosidades e gravar duas músicas novas. Feito originalmente para televisão reúne um impressionante material histórico, inclusive dos tempos em que, no lugar de Ringo, reinava Peter Best.

3) “End Of The Century”, de Jim Fields e Michael Gramaglia. Artista: Ramones.
end_of_century

“1, 2, 3, 4!” Drogas, michê, brigas por causa de mulher: o caos que era a vida dos Ramones em um documentário cru e direto, como o som do quarteto de Nova York.

4) “Botinada”, de Gastão Moreira. Artista: Punk Rock Nacional.
botinada_alta

Tiozinhos punks relembram como os 3 acordes chegaram ao Brasil no final dos anos 70, os festivais, as tretas, tudo coberto por imagens históricas da época e coberto pelo rock nervoso que se fazia no subúrbio operário tupiniquim.
Assista ao trailer aqui.

5) “Hype”, de Doug Pray Artista: Bandas grunge
hype

A Seattle prestes a explodir em forma de grunge é mostrada, no documentário de Doug Pray, como um cenário habitada por moleques de camisa xadrez que formariam bandas esquecidas na história e outros moleques de camisa de lenhador que acabariam formando Nirvana, Pearl Jam, Mudhoney e Soundgarden.

6) “Lóki – Arnaldo Baptista”, de Paulo Henrique Fontenelle Artista: Arnaldo Baptista
loki-documentario

Produzido pelo Canal Brasil, o premiado longa procura jogar luz sobre a névoa que envolve a carreira do mutante Arnaldo Baptista. Da cabeça do maior grupo de rock brasileiro, passando pela internação em um hospital psiquiátrico -de onde caiu do oitavo andar – a história cheia de reviravoltas do gênio é mostrada até a reunião dos Mutantes originais.

7) “Guidable – A verdadeira história do Ratos de Porão”, de Fernando Rick e Marcelo Apezzato. Artista: Ratos de Porão
guidable

Fazendo jus à imagem suja e agressiva da banda de João Gordo, “Guidable” não poupa o espectador de cenas de consumo de drogas, nem poupa o RDP de explicar brigas e tensões que fizeram os caras mudarem diversas vezes de formação.

Documentários que o Punk Brega ainda tem quer ver:

-“Gimme Shelter”, sobre os Stones
-“Some Kind of Monster”, sobre o Metallica
-“Shine a Light”, também sobre os Stones
-“A vida até parece uma festa”, sobres os Titãs

E pra quem curte a cena indie brasileira:
– “Música de trabalho”
-“Erga-Te” – Graforréia Xilarmônica

Assista “Novos Baianos F.C.” – documentário de Solano Ribeiro

publicado originalmente em 22/02/2010
novosbaianos-documentário
Fuçando no Youtube num sábado a tarde, dei de cara com esse interessantíssimo documentário de 1973 sobre os Novos Baianos, dirigido por Solano Ribeiro – produtor musical responsável pelos clássicos “Festivais de Música Popular Brasileira” – para um TV alemã.

Não são apresentados grandes inovações de edição, imagens de arquivo ou formulações de teoria. Está ali pra quem quiser ver a vida livre do bando de “20 malucos” que morava no “Sítio do Vovô” em Jacarepaguá, jogando bola, fazendo música, criando os filhos… A trilha sonora é de primeira, com a maioria das músicas tiradas do clássico “Acabou o Chorare”, lançado em 1972 e considerado pela Rolling Stone o melhor álbum da história da MPB.

Outros desbundes:
-Timothy Leary e suas memórias alucinadas em “Flashbacks”
-Leila Diniz, a musa do Pasquim

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...