Frases: “Grande Sertão Veredas”, Guimarães Rosa

Originalmente publicado 21/09/09

“Viver é negócio muito perigoso”

“O diabo na rua no meio do redemunho…”

“Eu quase que nada não sei, mas desconfio de muita coisa”.

“Eu atravesso as coisas – e no meio da travessia não vejo! –só estava era entretido na ideia dos lugares de saída e de chegada.”

“Riobaldo, a colheita é comum, mas o capinar é sozinho…”

“Que era: que a gente carece de fingir às vezes que raiva tem, mas raiva mesma nunca se deve de tolerar de ter. Porque, quando se curte raiva de alguém, é a mesa coisa que se autorizar que essa própria pessoa passe durante o tempo governando a ideia e o sentir da gente(…)”

“Sertão é dentro da gente”.

“Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura”

-COnheça a “Odisséia”, de Homero

“Acho que Deus não quer consertar nada, a não ser pelo completo contrato: Deus é uma plantação. A gente – e as areias.”

“O horror que me deu – o senhor me entende? Eu tinha medo de homem humano.”

“Esquecer, para mim, é quase igual a perder dinheiro”.

“Vivendo, se aprende; mas o que se aprende, mais, é só a fazer outras maiores perguntas”.

“O diabo não há! É o que eu digo, se for… Existe é homem humano. Travessia”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.