Profeta da Fome – Poesia

Cena do filme "O profeta da fome", com José Mojica Marins - o Zé do Caixão.

Cena do filme “O profeta da fome”, com José Mojica Marins – o Zé do Caixão.

O meu lirismo é feito do sangue das crianças mortas.
É o ritmo do dia-a-dia que importa.
A rima das ruas tem outra nota.
A canção do povo negro agora é lei.
A harmonia do trabalho sujo é a que eu sei.
Do lixo da sua sociedade me alimentei
***
Dos seus excrementos floresceu minha consciência.
Da suas entranhas minha penitência.
Dos moribundos emana a resistência.
Aguardo a vida passar, observando a miséria mundana.
Acredito nas emoções suburbanas.
Tento ter fé na raça humana.

Fred Di Giacomo é jornalista multimídia e autor dos livros “Canções para ninar adultos” e “Haicais Animais“ . Ele foi pioneira na criação de newsgames (jogos jornalísticos no Brasil) e toca na Banda de Bolso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.