“Cartas na rua”, Charles Bukowski



São mais de uma da manhã. A música acabou e só ouço o som da respiração da Bárbara na cama. Terminei mais um livro do Bukowski ontem e fiquei me sentindo órfão… Acho que vou encarar um de crônicas do Frank Jorge(ex-Cascavelletes, ex-Graforréia Xilarmônica), mas tenho medo de ser furada. Por equanto, deixo ai a micro-resenha do Cartas na rua do velho Buk.

Micro-resenha: Cartas na rua, Charles Bukowski **** */*
Então chegamos à primeira novela de Bukowski, escrita quando o cara já estava na casa dos 50. É diferente: saem os tempos de vagabundagem hard e entram os 11 anos que o velho tarado passou nos correios. Rolam as transas com mulheres bêbadas, mas são mais raras, o foco são 3 mulheres: Joyce uma ricaça caipira do Sul com quem Buk casa e a família toda acha que ele quer dar o golpe do Baú, Betty seu grande amor vagabundo que morre e deixa o filho (uma das únicas 3 pessoas no seu enterro) e Fay com quem o autor tem uma filha. É um Bukowski mais calmo (lembra Hollywood), com menos palavrões, sexo e porra-louquice que os outros. Muitas críticas à escravidão do trabalho, à rotina do Correio (as intermináveis rotas que Chinaski tem que decorar). Começa com Buk como estagiário do Correio, ele desiste (perseguido pelo terrível Jostone), vai se virando com sub-empregos (parte que mais lembra os contos do autor) e é convencido por Joyce a arrumar um emprego (quando volta aos Correios) para provar aos outros que não é só um sangue-suga. Me lembrou Hemingway (influência assumida de Bukowski) em alguns momentos. Na cronologia da vida de Chinaski (seu eterno alter-ego) se encaixa entre “Factótum”(cujos fatos são precedidos por “Misto-Quente”) e “Hollywood” (seguido por “O Capitão saiu e os marinheiros tomaram conta do navio”).

-Leia a resenha do livro “Misto-Quente” de Charles Bukowski.

-Divirta-se com algumas frases de Bukowski

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 thoughts on ““Cartas na rua”, Charles Bukowski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.